Resenha – Tudo O Que Nunca Contei

Por Thales Eduardo
|
22 de agosto

Título: Tudo O Que Nunca Contei
Título original: Everything I Never Told You
Autor: Celeste NG
Tradução: Julia Sobral Campos
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Página no Skoob: Clique aqui

“Não sabia explicar o que havia ocorrido, como tudo mudara em apenas um dia, como alguém que ela tanto amava podia estar ali num minuto e no seguinte não estar.”

Lydia não contou muitas coisas. Nunca contou como se sentia pressionada a seguir um futuro imposto pelos pais, no qual ela nem sabia se era aquilo mesmo que queria. Nunca contou como constantemente colocava os desejos dos outros acima dos próprios. Muitas coisas não ditas que permanecerão para sempre assim, pois agora já é tarde demais. Lydia está morta.

Enquanto a polícia investiga o caso, os Lee descobrirão o pouco que conheciam sobre Lydia. Tudo que imaginavam saber era apenas uma fachada, uma personagem que Lydia manteve para agradar a família.

Os pais só queriam para a filha o que nunca tiveram. A mãe ansiando pela carreira brilhante, enquanto o pai esperava pela popularidade. Os irmãos que eram ignorados percebiam nitidamente quem era a filha preferida. O irmão não via a hora de fugir para sempre daquilo tudo, enquanto a outra irmã só queria passar despercebida e ver a família bem. O que nenhum deles se preocupou era com o que de fato Lydia queria, seus desejos, medos e ambições. 

Agora com a perda, será em meio a dor que repensarão cada caminho que os levaram até aquele momento fatídico. Todas as respostas estão lá, em um gesto, uma ação. A consequência de tudo isso já sabem, agora só precisam entender como chegaram naquela situação.

“As  pessoas formam uma opinião antes de conhecerem você. Elas acham que sabem tudo a seu respeito. Só que você nunca é quem elas pensam.”

Tudo O Que Nunca Contei superou todas as minhas expectativas. Com uma escrita envolvente, Celeste desenvolve uma história profunda e tocante.

De uma forma instantânea, assim que começa leitura o desejo em devorar a trama toma conta do leitor. A narração utilizada pela autora é de uma profundidade imensa, no qual nos presenteia com personagens e situações que fazem o leitor se sentir vivendo aquilo tudo com cada um deles.

A história é ótima, mas tenho certeza que o sucesso desse livro seja em sua maior parte devido a construção textual feito por Celeste. Eu realmente fui fisgado de uma forma muito intensa, no qual a cada capítulo era um misto de sensações e emoções.

Eu poderia continuar com os inúmeros elogios que esse livro merece, mas também sinto que nenhum deles conseguiria explicar o que de fato senti com a leitura. Então, peço simplesmente que você leia e entenderá do que estou falando. 

images (1)

Resenha – Meus Dias Com Você

por Thales Eduardo
|
18 de agosto
Título: Meus Dias Com Você Título original: Before You Go Autora: Clare Swatman Tradução: Simone Reisner Editora: Arqueiro Páginas: 288 Página no Skoob: Clique Aqui “O que você faz quando acorda em sua vida antiga? Existe algum manual, um conjunto de regras a seguir? E quanto tempo

Resenha – O Que Não Diz A Lenda

Por Thila Barto
|
14 de agosto
Título: O Que Não Diz A Lenda Autora: Christine M. Editora: Underworld Páginas: 320 Página no Skoob: Clique aqui!   “Nadar te faz querer chegar a algum lugar e eu não conseguia nem tocar o fundo e nem voltar à tona. Perder-se te faz se afogar e eu já estava ficando sem ar”   Resenha: Como

Resenha – Bem-vindo À Vida Real

Por Thales Eduardo
|
11 de agosto
Título: Bem-vindo À Vida Real
Título original: Cure For The Common Universe
Autor: Christian McKay Heidicker
Tradução: Glenda D’Oliveira
Editora: Intrínseca

Páginas: 320
Página no Skoob: Clique Aqui

“Queria sair do meu próprio corpo. Queria abandonar o personagem chamado Jaxon e recomeçar do zero com outro.”

Jaxon é completamente viciado em jogos eletrônicos, sendo que ele passa maior parte do seu tempo no quarto jogando. Apesar de a família não aceitar, Jaxon não vê o que há de errado nisso. Seria tão errado assim fugir para a realidade virtual, quando sua própria vida não fosse nada animadora?

No momento em  que ele é obrigado a levar o carro para lavar, Jaxon não imaginava que conheceria Serena, uma garota interessante e bonita, e que voltaria para casa com um encontro marcado. Mas todos os seus planos vão por água abaixo quando ele descobre que seu pai o internou em uma clínica para viciados em jogos.

A reabilitação na clínica é projetada como um jogo, no qual os jogadores (pacientes) precisam atingir determinada pontuação para ganharem liberdade. Jaxon não tem muito tempo, precisa conseguir pontos o quanto antes para que posso chegar a tempo do encontro.

Muita aventura o aguarda, sem falar que ele perceberá que a vida real pode não ser tão simples quanto um jogo qualquer, e que o seu maior desafio será encarar essa nova realidade.

“- Não sou um gamer; sou o protagonista do jogo da vida.
E, simples assim, passei a ser um deles.”

Cheguei até esse livro através de Excesso de Luz, um conto incrível do autor disponibilizado em formato e-book gratuito pela Editora Intrínseca (aqui). Um conto curto, mas que me conquistou de uma maneira instantânea. Com o livro não foi diferente.

A começar pela leitura, que flui de uma maneira rápida e envolvente. A habilidade do autor em sua narração é nítida, prendendo a atenção do leitor. Ele utiliza muito bem do humor e de inúmeras referências ao universo dos jogos que completam a obra de uma forma perfeita.

Apesar de não conhecer muitos dos jogos citados, em nenhum momento me senti perdido ou deslocado. Foi ainda mais interessante mesclar leitura com pesquisa e ir descobrindo coisas novas a cada capítulo.

Sobre a trama, não há o que reclamar. A construção e desenvolvimento de cada personagem foi bem sincronizada, tanto que muito dos personagens secundários são importantes para o amadurecimento do próprio protagonista. E por falar nele, Jaxon me deixou com raiva em muitos momentos, mas também revelou o quanto podemos ser egoístas e egocêntricos.

O meu problema é maior que o do outro. Eu sofro mais que o outro. EU, EU, EU. Cada vez está mais difícil ouvir, já que as pessoas acreditam que há muito mais para falar. Precisamos falar sobre o que estamos vivendo, passando, lutando, mas em poucos momentos nos solidarizamos com o ouvinte, com os demais seres ao nosso redor. O livro retrata muito bem essa ideia, além de muitas outras mensagens presentes ao longo dos capítulos.

Pode não ser um livro revelador que te marcará por anos, mas, ainda assim, Bem-vindo À Vida Real proporcionará momentos agradáveis e descontraídos de leitura, além de provocar uma série de reflexões no próprio leitor.

“Esse conforto conforto gerado digitalmente pode nos fazer negligenciar nossos relacionamentos reais, nos deixando ainda mais isolados. Hoje, eu quero saber: o que faz vocês se sentirem sozinhos?”

images

John Green anuncia livro novo!

por Thila Barto
|
10 de agosto
É, caro, você não está lendo errado! O nosso querido ‘João Verde’, depois de 5 anos, anuncia livro novo! O autor tinha publicado um vídeo em seu canal no ano passado jogando um balde de água fria em todos os fãs, revelando que não sabia se publicaria outro livro devido a pressão

Resenha – Destinos e Fúrias

Por Thales Eduardo
|
7 de agosto
Título: Destinos e Fúrias Título original: Fates And Furies Autor: Lauren Groff Tradução: Adalgisa Campos da Silva Editora: Intrínseca Páginas: 368 Página no Skoob: Clique aqui “Narrar é construir uma paisagem, e tragédia é comédia é drama. Só depende de como a pessoa emoldura

Resenha – Baseado Em Fatos Reais

Por Thales Eduardo
|
3 de agosto

Título: Baseado Em Fatos Reais
Título original: D’après une histoire vraie
Autora: Delphine De Vigan
Tradução: Carolina Selvatici
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Página no Skoob: Clique aqui

“Hoje sei que L. foi o único motivo da minha impotência. E que os dois anos que nos ligaram quase me calaram para sempre.”

Só fui perceber como era difícil de falar sobre Baseado Em Fatos Reais quando parei para escrever essa resenha. Comecei, apaguei. Comecei, apaguei. E fiquei nesse ciclo por algum tempo. Cogitei até mesmo não fazer.

A razão de tudo isso? Esse não é um livro qualquer, com alguma história clichê que já estamos cheios. Muito pelo contrário. Delphine surpreende e conquista a cada página. Lentamente, ela nos cerca com sua narração, trazendo a sensação de que o leitor é um dos personagens e está acompanhando junto o desenrolar dos fatos.

Em Baseado Em Fatos Reais, Delphine faz uma análise de um fato passado. O seu encontro com a ghost writer L. e o seu quase fim de carreira.

Após o grande sucesso da sua auto biografia, a autora se vê presa no grande dilema de o que escrever em seguida. Como superar uma obra que agradou tanto assim os fãs. Delphine sente a pressão, de si própria, dos demais, todos esperando pelo próximo passo da autora.

E é durante esse período que ela conhece L.. Sempre disponível e prestativa, L. se mostra uma grande amiga para Delphine. A cada dia que passa, elas vão ganhando mais intimidade, a ponto da autora revelar todos seus medos e anseios para a amiga.

Mas não há reciprocidade. L. suga todas as informações de Delphine, mas quando é sobre si mesma, ela se cala, dá informações vagas.

Quando tudo isso estava acontecendo, Delphine não percebia os sinais suspeitos dessa relação. Mas agora que já passou por tudo e nos conta como foi, ela permite-se fazer comentários a cerca de determinados fatos.

Um relação de abuso, poder e influência. Relação essa que deixará marcas para sempre.

“Existe uma grande diferença entre o que você está sentindo, a maneira como se vê e a imagem que passa.”

Relativamente curto, Baseado Em Fatos Reais é composto por capítulos rápidos, que trazem dinâmica para o livro. Ainda assim, Delphine nos presenteia com uma narração profunda e rica.

A obra mescla o drama com suspense, deixando o leitor angustiado para saber até que ponto aquela “amizade” irá e quais serão as consequências disso.

Talvez muitos já suspeitavam do tal final, mas ainda assim Delphine surpreende na forma em que descreve e amarra tudo. As pistas estavam desde o primeiro capítulo e após o encerramento é que percebemos como tudo foi muito bem planejado pela autora.

Baseado Em Fatos Reais gera uma inquietação no leitor e não passará em branco. Você certamente irá repensar muitas coisas, chegando até questionar se não possui uma L. em sua vida.

“A escrita é muito mais poderosa do que você possa imaginar. A escrita é uma arma de defesa, de fogo, de sinalização, a escrita é uma granada, um míssil, um lança-chamas, uma arma de guerra. Ela pode devastar tudo, mas também pode reconstruir.”

images

Resenha – O Duelo dos Imortais

por Thila Barto
|
1 de agosto
Título: O Duelo dos Imortais Título original: Reignited Autor: Colleen Houck Tradução: Ana Ban Editora: Arqueiro Páginas: 112 Página no Skoob: Clique Aqui! “Aquilo que estavam fazendo era algo louco, impulsivo. Mas por acaso o amor não era uma forma de loucura?” Resenha: Como

Resenha – Por um toque de ouro

Por Lucas Florentino
|
27 de julho
Título: Por um toque de ouro Autora: Carolina Munhoz Editora: Rocco (selo Fantástica) Gênero: Fantasia Páginas: 272 Ano: 2015 Skoob: Aqui    “Você está começando a descobrir o quanto é poderosa. E que sua sorte não vem do acaso…” Precisamos conversar sobre Carolina

Resenha – Eu Sou A Lenda

Por Thales Eduardo
|
25 de julho

Título: Eu Sou a Lenda
Título original: I Am Legend
Autor: Richard Matheson
Tradução: Delfin
Editora: Aleph
Páginas: 384
Página no Skoob: Clique aqui

“O mundo se tornou louco, pensou. Os mortos andam por aí e eu acho isso normal.”

Em 1975 uma praga devastadora transformou para sempre a vida na Terra. Ninguém encontrou a razão nem mesmo uma cura para o que estava acontecendo e, assim, toda população terrestre acabou morta. Todos menos um.

Robert Neville, que não sabe exatamente o porquê de ser imune à praga é o último ser humano. Pelo menos é isso que ele acredita.

Entretanto as pessoas não apenas morreram, elas voltaram na forma de vampiros.

Após quase um ano sem nenhum contato humano, Neville continua resistindo. Ele organizou sua casa criando um sistema que permite sua sobrevivência mas também que repele todas as noites os vampiros que, ansiosamente, o cercam aguardando ter o prazer de lhe pegarem.

Neville passa seus dias buscando encontrar uma explicação lógica para tudo que aconteceu alguns meses atrás e também sente o isolamento constante da sua vida atual.

Mas as coisas nem sempre são tão ruins que não possam piorar, e Neville está prestes a descobrir que aquilo que ele tanto esperava poderá colocar tudo que ele construiu em risco, até mesmo sua própria vida!

“Em um mundo de terror monótono, não podia haver salvação, nem nos sonhos mais loucos.”

Richard Matheson lançou esse livro em 1954, se tornando um clássico que influenciou alguns escritores importantes, como por exemplo, Stephen King.

Mesmo com mais de 50 anos, esta obra não perde seu poder. A história criada por Matheson é um tanto quanto curiosa. Nada de zumbis, o fim do mundo aqui foi causado pelos vampiros, daqueles bem mortíferos que estão em falta na literatura atualmente.

O protagonista foi muito bem criado e mesmo com toda a solidão temos muitos diálogos engraçados que o personagem tem com ele próprio. Esse livro trata também da questão do isolamento. Como isso afeta a vida das pessoas, influenciando drasticamente seus atos.

As partes de suspense são muito bem criadas e prendem o leitor. O único fato que talvez possa incomodar os que buscam isso no livro é exatamente a falta de mais cenas assim. Por exemplo, todas as noites os vampiros cercam a casa de Neville, mas ainda assim você não sente a tensão que deveria sentir. Isso porque conforme é narrado, a casa aparentemente não corre o risco de ser invadida.

“Um homem pode se acostumar com qualquer coisa, se for obrigado a isso.”

Ao decorrer da história vamos descobrindo alguns fatos do inicio dessa praga e em como isso afetou a vida do protagonista. Essa é uma forma de entender todo o sofrimento e crise existencial que o personagem sofre. A solidão absoluta não é algo fácil de ser lidada.

Outro fato que surpreende são as explicações para a praga que assolou o mundo. O protagonista ao fazer uma análise do que aconteceu, acaba desenvolvendo uma teoria que explica tudo. Então, diferente do que ocorre em muitas outras obras, nessa ao terminar você saberá o que de fato causou tudo. Claro que superficialmente, mas ainda assim já é satisfatório.

Está edição da editora Aleph está primorosa, com capa dura e uma diagramação incrível rendendo longos momentos de apreciação. Há também alguns materiais extras interessantes e que tornam a obra ainda mais valiosa.

Matheson conduz a história de uma forma impressionante com um final que supera todas as expectativas. Leia e surpreenda-se!

“Um novo terror nascido na morte, uma nova superstição entrando na fortaleza inexpugnável da eternidade. Eu sou a lenda.”

91rccriivll