Mês: outubro 2014

J.K. Rowling divulga novo conto no Pottermore!

Por Marcos Stankevicius
|
31 de outubro
   J.K. Rowling divulga mais um conto sobre o universo Harry Potter em comemoração ao Halloween.  

   Dessa vez, o conto se passa no Ministério da Magia, onde temos a participação da professora Dolores Umbridge, que foi introduzida no livro/filme Harry Potter e a Ordem da Fênix e se tornou uma das personagens mais odiadas da saga, sendo o personagem perfeito para um conto de Halloween.
  O conto foi publicado no fan-site Pottermore, criado pela autora, que aproveitou a data também para divulgar os capítulos restantes de Ordem da Fênix no site.
    O conto está em inglês, assim que for traduzido atualizaremos o post.

The story of Dolores Jane Umbridge
Dolores Jane Umbridge was the eldest child and only daughter of Orford Umbridge, a wizard, and Ellen Cracknell, a Muggle, who also had a Squib son. Dolores’ parents were unhappily married, and Dolores secretly despised both of them: Orford for his lack of ambition (he had never been promoted, and worked in the Department of Magical Maintenance at the Ministry of Magic), and her mother, Ellen, for her flightiness, untidiness, and Muggle lineage. Both Orford and his daughter blamed Ellen for Dolores’s brother’s lack of magical ability, with the result that when Dolores was fifteen, the family split down the middle, Orford and Dolores remaining together, and Ellen vanishing back into the Muggle world with her son. Dolores never saw her mother or brother again, never spoke of either of them, and henceforth pretended to all she met that she was a pure-blood.
An accomplished witch, Dolores joined the Ministry of Magic directly after she left Hogwarts, taking a job as a lowly intern in the Improper Use of Magic Office. Even at seventeen, Dolores was judgemental, prejudiced and sadistic, although her conscientious attitude, her saccharine manner towards her superiors, and the ruthlessness and stealth with which she took credit for other people’s work soon gained her advancement. Before she was thirty, Dolores had been promoted to Head of the office, and it was but a short step from there to ever more senior positions in the management of the Department of Magical Law Enforcement. By this time, she had persuaded her father to take early retirement, and by making him a small financial allowance, she ensured that he dropped quietly out of sight. Whenever she was asked (usually by workmates who did not like her) ‘are you related to that Umbridge who used to mop the floors here?’ she would smile her sweetest, laugh, and deny any connection whatsoever, claiming that her deceased father had been a distinguished member of the Wizengamot. Nasty things tended to happen to people who asked about Orford, or anything that Dolores did not like talking about, and people who wanted to remain on her good side pretended to believe her version of her ancestry.
In spite of her best efforts to secure the affections of one of her superiors (she never cared particularly which of them it was, but knew that her own status and security would be advanced with a powerful husband), Dolores never succeeded in marrying. While they valued her hard work and ambition, those who got to know her best found it difficult to like her very much. After a glass of sweet sherry, Dolores was always prone to spout very uncharitable views, and even those who were anti-Muggle found themselves shocked by some of Dolores’s suggestions, behind closed doors, of the treatment that the non-magical community deserved.
As she grew older and harder, and rose higher within the Ministry, Dolores’s taste in little girlish accessories grew more and more pronounced; her office became a place of frills and furbelows, and she liked anything decorated with kittens (though found the real thing inconveniently messy). As the Minister for Magic Cornelius Fudge became increasingly anxious and paranoid that Albus Dumbledore had ambitions to supersede him, Dolores managed to claw her way to the very heart of power, by stoking both Fudge’s vanity and his fears, and presenting herself as one of the few he could trust. 
Dolores’s appointment as Inquisitor at Hogwarts gave full scope, for the first time in her life, for her prejudices and her cruelty. She had not enjoyed her time at school, where she had been overlooked for all positions of responsibility, and she relished the chance to return and wield power over those who had not (as she saw it) given her her due.
Dolores has what amounts to a phobia of beings that are not quite, or wholly, human. Her distaste for the half-giant Hagrid, and her terror of centaurs, reveal a terror of the unknown and the wild. She is an immensely controlling person, and all who challenge her authority and world-view must, in her opinion, be punished. She actively enjoys subjugating and humiliating others, and except in their declared allegiances, there is little to choose between her and Bellatrix Lestrange.
Dolores’s time at Hogwarts ended disastrously, because she overreached the remit Fudge had given her, stepping outside the bounds of her own authority, carried away with a fanatical sense of self-purpose. Shaken but unrepentant after a catastrophic end to her Hogwarts career, she returned to a Ministry, which had been plunged into turmoil due to the return of Lord Voldemort. 
In the change of regimes that followed Fudge’s forced resignation, Dolores was able to slip back into her former position at the Ministry. The new Minister, Rufus Scrimgeour, had more immediate problems pressing in on him than Dolores Umbridge. Scrimgeour was later punished for this oversight, because the fact that the Ministry had never punished Dolores for her many abuses of power seemed to Harry Potter to reveal both its complacency and its carelessness. Harry considered Dolores’s continuing employment, and the lack of any repercussions for her behaviour at Hogwarts, a sign of the Ministry’s essential corruption, and refused to cooperate with the new Minister because of it (Dolores is the only person, other than Lord Voldemort, to leave a permanent physical scar on Harry, having forced him to cut the words ‘I must not tell lies’ on the back of his own hand during detention).
Dolores was soon enjoying life at the Ministry more than ever. When the Ministry was taken over by the puppet Minister Pius Thicknesse, and infiltrated by the Dark Lord’s followers, Dolores was in her true element at last. Correctly judged, by senior Death Eaters, to have much more in common with them than she ever had with Albus Dumbledore, she not only retained her post but was given extra authority, becoming Head of the Muggle-born Registration Commission, which was in effect a kangaroo court that imprisoned all Muggle-borns on the basis that they had ‘stolen’ their wands and their magic.
It was as she sat in judgement of another innocent woman that Harry Potter finally attacked Dolores in the very heart of the Ministry, and stole from her the Horcrux she had unwittingly been wearing. 
With the fall of Lord Voldemort, Dolores Umbridge was put on trial for her enthusiastic co-operation with his regime, and convicted of the torture, imprisonment and deaths of several people (some of the innocent Muggle-borns she sentenced to Azkaban did not survive their ordeal). 
Birthday: 26th August
Wand: Birch and dragon heartstring, eight inches long 
Hogwarts house: Slytherin
Special abilities: Her punishment quill is of her own invention
Parentage: Muggle mother, wizard father
Family: Unmarried, no children
Hobbies: Collecting the ‘Frolicsome Feline’ ornamental plate range, adding flounces to fabric and frills to stationary objects, inventing instruments of torture

Você encontra mais informações e outras declarações da J.K sobre a Umbridge, no site Today.com.

Resenha – Coração Ardente

Por Beatriz Guerra
|

Título: Coração Ardente

Título Original: The Fiery Heart
Autor(a): Richelle Mead

Editora: Seguinte
Páginas: 416
Nota do Skoob: 4,6/5,0
Gênero: Romance, Sobrenatural, Ficção

   Sem a menor dúvida, de todos os livros da série Bloodlines,esse foi o mais cruel e lindo de todos.
  
 Não leia essa resenha caso você ainda não tenha lido “Laços de Sangue”, “Lírio Dourado” e “Feitiço Azul”, a não ser que você queira spoilers…

   “Coração Ardente”  é oquarto livro da série Bloodlines  e foi um desafio para a própria autora Richelle Mead, que fez essa mesma declaração na parte de “Agradecimentos “ no final do livro. Por quê? Foi o primeiro livro que ela escreveu alternando as narrações dos personagens, nesse caso de Adrian e Sydney. Cada capítulo era do ponto de vista de um deles. E isso foi PERFEITO. Quem já era apaixonado pelo Adrian consegue se apaixonar mais ainda (se isso for possível), você irá conhecê-lo com uma maior profundidade, acompanhando toda a escuridão do espírito que o domina, o seu amor imensurável por Sydney que só aumenta com o passar dos dias e todas as aventuras à la Ivashkov que tanto amamos.  
    Para quem leu “Feitiço Azul” sabe muito bem que o quarto livro se dá início com a (chata) irmã mais nova de Sydney, Zoe Sage, chegando em Palm Springs  e iniciando os  estudos no mesmo colégio de Jill e os dampiros. Além disso, é adicionado mais um personagem à história, Neil, um dampiro com sotaque britânico (<3) mandado para lá como uma proteção extra graças ao “surto” de Sydney ao telefone com seus superiores no último livro.
    Sydney tem que ser mais precavida ainda para não espalhar mais migalhas de sua rebeldia com Zoe em seu encalço. Sua irmã mais nova apresenta o mesmo medo de vampiros que Sydney apresentava no início, chamando-os de “criaturas abomináveis” e não compreendo o relacionamento de Sydney com tais criaturas, que os ajudava com coisas desnecessárias como cuidar das bagunças de Angeline ou comprar o jantar para eles em todos os fornecimentos na casa de Clarance. Zoe passa a ficar ainda mais no pé de Sydney quando sua irmã mais velha começa a desaparecer misteriosamente durante a tarde para “lições da professora Terwilliger”.
   É revelado que essas “lições” na verdade são encontros com Adrian. POIS É. Os dois finalmente (aleluia) começam a desenvolver um relacionamento amoroso.  É por este exato motivo que esse é um dos livros mais lindos da série, o amor compartilhado pelos personagens é um dos mais puros e verdadeiros, é muito fofo acompanhar aquele Adrian com coração partido pela Rose em Vampire Academy se transformar no Adrian romântico com olhos apenas para Sydney, e a selvageria omitida de Sydney ascender nesses pequenos momentos. Cercados pelo perigo e dúvida, os dois precisam sempre tomar muito cuidado, e por isso, cada momento juntos é uma dádiva e aproveitado cada segundo. Você irá se derreter lendo essas passagens e desejar fortemente que tudo termine bem.
   Por esse “terminar bem”, você já deve imaginar que as coisas não acabarão assim. Pois é, esse é o lado cruel do livro ):  Você sabe que as coisas vão acabar mal de um jeito ou de outro conforme avança na leitura. Não adianta se enganar com falsas esperanças.
    Em meio a tudo isso, acompanhamos o desenvolvimento das opiniões de Zoe a respeito dos vampiros mudarem um pouco, uma viagem repentina de Adrian ao Texas para encontrar Rose e Dimitri e  tentar encontrar a importante solução para todos os problemas com os Strigoi, as mentiras de Angeline e Jill que declaram estar apaixonadas por Neil para esconder seus verdadeiros sentimentos  em relação a outras pessoas (hihi), as lutas constantes de Adrian com o espírito que chega a um ponto tão difícil que Adrian resolve procurar ajuda, a apresentação de Sydney ao clã de bruxas de sua professora de história, a separação dos pais de Sydney e Zoe que gera conflitos entre as irmãs já que Sydney precisa escolher a quem irá testemunhar a favor na audiência pela guarda de Zoe. E ainda mais, a busca de Sydney por uma tinta que anule os efeitos da tatuagem do lírio para que nem ela, nem qualquer outra pessoa, tenha que ir ao México junto com Marcus, o líder rebelde ex-alquimista,  e se arriscar para conseguir a liberdade da influência alquimista.
   São muitas aventuras e acontecimentos durante todo o livro com a presença constante de Adrian.Eu demorei o máximo de tempo para lê-lo,  pois me trazia tanta satisfação e felicidade nesses breves momentos. É aquele tipo de livro que você se afoga na história e consegue se desconectar da realidade, que aquece seu coração e consegue fazer você sorrir imperceptivelmente.
    Admito que estou muito nervosa com o desenvolvimento dos próximos livros porque o que acontece no final é profundamente cruel, vai arrancar o coração de qualquer leitor. Imagina no próximo quando o acontecimento será mais abordado.  ='(  Só posso dizer que meu amor por Adrian cresce cada vez mais, nem lembro mais quem é Dimitri.
Leiam e não se esqueçam: Centrum Remanebit.

Pré venda e trailer final de “Jogos Vorazes – A Esperança Parte 1” liberados!!

Por Santoni
|
29 de outubro
O último trailer de “A Esperança Parte 1” foi liberado hoje, dia 29/10, no mesmo dia do início da pré-venda dos ingressos.
O trailer é emocionante e serve ao propósito de deixar os fãs e apreciadores da saga ansiosos para a estréia, que ocorre primeiro aqui no Brasil no dia 20 de novembro.
Os ingressos já estão em pré-venda, escolha seu cinema e corra para garantir seus ingressos!

 

 

 

Trailer:

Resenha – Jogador nº 1

Por Marcos Stankevicius
|
26 de outubro
Título: Jogador nº 1
Título Original: Ready Player One
Autor(a): Ernest Cline
Tradutor(a): Carolina Caires Coelho
Editora: Leya
Ano: 2012
Páginas: 464
Nota no Skoob: 4.6/5
Gênero: Ficção; Aventura
 
“Um mundo em jogo, a busca pelo grande prêmio. Você está preparado ?”
                                                 
Resenha:
 

O ano é 2044 e o mundo real se encontra numa terrível situação de crises de energia e mudanças climáticas catastróficas somado a guerras atômicas, vírus mortais e uma severa pobreza. Entretanto, tudo é encoberto pela mídia e as pessoas tem a oportunidade de passar a maior parte do tempo no mundo virtual chamado OASIS – a mais famosa utopia de realidade virtual que permite a seus usuários ser o que eles quiserem e ir onde eles desejarem; fazendo os problemas da vida real serem ignorados. 

O criador desse mundo virtual é James Donovan Halliday, famoso e bilionário após o sucesso sem precedência de OASIS que morre aos 67 anos de idade sem possuir herdeiros, mas que deixa uma mensagem em vídeo para todos os usuários do seu jogo: toda sua fortuna será daquele que encontrar primeiro o easter egg (segredo escondido) que ele colocou em algum lugar do jogo, deixando apenas uma pista para as pessoas terem por onde começar. 

Wade Watts é o nosso protagonista, um garoto simples de Oklahoma que usa o nome Parzival em OASIS e mesmo não possuindo level e equipamentos adequados, consegue ser o primeiro jogador a ultrapassar a primeira pista do grande prêmio após 5 anos de sua criação, tornando-se assim famoso e ao mesmo tempo despertando a esquecida vontade do mundo todo de retomar a “caça ao ovo”.

A caça torna-se cada vez mais difícil e desafiadora, exigindo de Wade todo o seu conhecimento sobre jogos, filmes e músicas que estejam relacionados a Halliday, além de enfrentar poderosos inimigos, contando apenas com a ajuda de alguns amigos como: Aech, seu único amigo virtual antes da caça, e Art3mis, uma famosa blogueira pelo qual Wade é apaixonado. Ainda sim, a amizade é limitada, já que no final apenas um pode sair vitorioso. A proporção dos problemas se tornam tão grandes que a vida de Wade é ameaçada tanto no jogo como na vida real.

O atrativo do livro é o modo como o mundo virtual é explorado. Nós, leitores, conhecemos pela leitura vários tipos de universo. Quem não gostaria de estudar em Hogwarts, matar criaturas mitológicas, conversar com animais falantes, viajar pela Terra Media e até mesmo participar de uma arena de “Jogos Vorazes”? No OASIS tudo isso é possível. Leitores que também forem gamers terão surtos de como é ampla as possibilidades e como seria incrível a experiência.

“Jogador Nº 1” possui muitas características vistas em “Matrix”, “Jogo do Infinito” e “Pequenos Espiões 3”, mas Cline consegue transmitir seu individualismo em cada capitulo, colocando varias referências de jogos antigos e jogos atuais, relevando o diferencial.

A presença de críticas sobre a fome, pobreza, doença e guerras enriquece a história, já que vivemos em situações semelhantes; assim como não ter o foco na vida romântica de Wade, que mantém o leitor no conforto da realidade para então mostrar como é extraordinário o mundo virtual.

Vazou o trailer de “Os Vingadores 2 – A Era de Ultron”!

Por Santoni
|
22 de outubro
O trailer de “Os Vingadores 2 – A Era de Ultron” vazou hoje (22.10), alguns dias antes da data prevista (28.10). O trailer seria divulgado após o sexto episódio da nova temporada da série Marvel’s Agents of Shield.

O trailer em si é repleto de ação e emoção. Nele podemos ver o vilão do longa, Ultron, e flashes dos Vingadores após a batalha de Nova York, mostrada no primeiro filme.
Homem de Ferro, Hulk, Capitão América, Thor, Viúva Negra, Gavião Arqueiro, Nick Fury, Maria Hill e os recém inseridos personagens, Mercúrio e Feiticeira Escarlate, mostram no trailer o poder da Marvel nesse filme que é considerado um dos mais esperados da década e tem estreia prevista para dia 30 de abril de 2015.
 
Confira o Trailer Oficial:

Legendado:

Resenha – Happyland

Por Santoni
|
A MTV americana embarca em mais uma aposta teen para essa Fall Season.
    Happyland acompanha a vida de trabalhadores de um famoso parque de diversões nos Estados Unidos. A série foca em Lucy, uma menina de 17 anos que deseja desesperadamente algo diferente para a sua vida e que não quer acabar como sua mãe, Elena, que trabalha como princesa de “Happyland”  há 20 anos. 
   Bianca A. Santos (The Fosters) protagoniza a série ao lado de Camille Guaty (Prision Break), Shane Harper (Good Luck, Charlie; Awkward) e Ryan Rottman (90210; The Lying Game), Katherine McNamara (Girl vs. Monster) e o novato, que promete ser um dos destaques da série, Cameron Moulene (Raising Hope). Um elenco sem grandes nomes que compensa com apelo físico, o que ultimamente parece obrigatório para fazer parte da programação da MTV.

 

 

 

 

    A série trabalha a temática da família latino-americana, já muito bem abordada em Switched at Birth, além de vários outros clichês que para quem é acostumado com séries adolescentes, já conhece tudo de trás pra frente. O diferencial da série é que a maioria dos clichês já foram expostos logo no primeiro episódio (Pilot), portanto a resposta óbvia que o telespectador acha que já tem é dada logo no começo da série, restando a ele se intrigar com o desenvolvimento da história e não com grandes enigmas, que são o que normalmente mantem a audiência.
    Happyland é uma série adolescente que se destaca pelo ambiente, que é de fato inovadora para o gênero. Apesar da MTV ter em sua grade grandes sucessos como Awkward, Teen Wolf, Faking It, Teen Mom etc.., talvez Happyland não esteja a altura, porém não deixa de ser um ótimo passatempo para muitos e um “guilty pleasure” para outros.
    Happyland vai ao ar às terças na MTV americana.

 

Trailer:

Resenha – Simplesmente Ana

Por Dalila Correia
|
19 de outubro
Autor(a): Marina Carvalho 
Editora: Novas Páginas
Ano: 2013
Páginas: 304
Nota no Skoob: 4,3/5
Gênero: Romance.
 
Imagine abrir seu perfil do Facebook, e dar de cara com uma mensagem escrita assim:
 “Desculpe, mas acho que sou seu pai” 
 
Pois bem, esse é o começo da história de Ana Carina, uma jovem com 20 anos, estudante de direito de Minas Gerais, que até então acreditava que seu pai havia a abandonado, pois sua mãe escondeu que engravidara de Andrey,o príncipe da Krósvia, quando estava fazendo um intercâmbio na Europa, por medo de ser humilhada pela realeza.
Sem querer perder mais tempo, Andrey faz uma proposta à Ana para que ela passasse um tempo com ele na Krósvia e conhecesse o restante de sua família. Ana entra em um impasse: ir para Krósvia ( mesmo provisoriamente) significaria abandonar tanto sua faculdade, como sua melhor amiga Ester, sua família e seu recente “rolo”, assim como perder sua privacidade,pois indo para Krósvia seria “princesa”, e por onde andasse seria reconhecida. Sim! Ana optou em ir, e mesmo passando por situações difíceis, acaba descobrindo na Krósvia, o seu segundo lar… ou se tornara o seu primeiro?
Este foi o primeiro livro que li da escritora Marina Carvalho, e me encantou muito por sua narrativa objetiva e clara da história. Porém, confesso que me encantei em primeiro lugar pela capa (óbvio), e depois que li a sinopse e vi que era brasileiro, não teve jeito, comprei!

 

A leitura é muito dinâmica (devorei o livro), não há enrolação nos acontecimentos, e não tem nada dos “mimimis” que vemos na maioria dos romances e contos de princesas. Os personagens são muito bem elaborados, mas o que mais me chamou atenção foi Alexander. Não pelo fato dele ser lindo ( meia verdade rsrs ), mas por sua personalidade séria e sincera. Ele é o enteado ( gato e chato) de Andrey, mas que não deseja herdar o trono. Porém, quando sabe de Ana, imediatamente acredita que ela é uma impostora atrás do trono. Aos poucos eles vão se dando bem, e a história vai ficando interessante… Um fato intrigante é Ana ter o mesmo sonho todas as noites desde que era criança. Ela sonha que está usando um vestido lindo rodado amarelo, e que está subindo os degraus de uma grande escada. De repente começa a ventar muito e a faz ficar transtornada, e quando olha para trás, alegre com o que vê, tenta tocar. Mas acorda antes de saber o que é – fazendo-a passar com psicólogo, e até vidente para tentar decifrá-lo. Porém, apenas as últimas experiências na vida de Ana revelarão o sentido deste sonho!

 

 

O que nos faz adentrar literalmente na história, são ler coisas do nosso cotidiano, como o fato de Ana ser fã de Jota Quest, sua mãe participar do programa Mais você da Ana Maria Braga, Ana dar entrevista sobre sua nova vida no programa da Sônia Abrão, entre outros.

 

Simplesmente Ana nos faz refletir sobre a CONFIANÇA que depositamos e esperamos das pessoas, a importância da família e dos nossos objetivos, além do amor ao próximo e da humildade. Pois é exatamente o que Ana passa ao se tornar princesa. 

O final foi simplesmente lindo, muito bem fechado. E sim, era para ser apenas 1 livro comum…. porém, como o sucesso foi tão grande, os leitores pediram TANNNNTO, que Marina Carvalho aceitou o desafio, e transformou a história em uma trilogia, com o lançamento do segundo livro “De repente Ana” na bienal do Livro 2014 em São Paulo. Mas ai você pensa “Poxa, o final já está pronto, o quê ela fará no segundo?” Mas lhe garanto, ele é INCRÍVEL!!!
 
PS: o terceiro livro, será lançado em 2015 ^^


Ezra Miller será The Flash no cinema!

Por Beatriz Guerra
|
16 de outubro
totalmente inesperado!

 

Ezra Miller, o Patrick de “As Vantagens de Ser Invisível”, interpretará o super-herói The Flash no filme que chega aos cinemas apenas em 2018de acordo com o anúncio da Warner Bros feito nesta quarta-feira.

 

E não não, a adaptação não terá qualquer relação com a série de tv de mesmo nome da CW, na qual Grant Gustin interpreta o super-heroi.
 
Ezra é conhecido pela sua participação em outros filmes como “Precisamos falar sobre Kevin”, “Afterschool” e seu mais recente trabalho “Madame Bovary”.

 

Nomes para diretor e roteirista ainda serão divulgados. 
Mais Ezra nas telinhas para nos divertir 😀

 

Resenha – The Italian Girl

Por Thila Barto
|
Título: TBA
Título OriginalThe Italian Girl
Autor(a): Lucinda Riley
Editora: Macmillan
Páginas: 576
Ano: 1996 (Original), 2014 (Relançamento)
 
An extraordinary talentAn obsessive love.”   
 
Resenha:

O livro The Italian Girl na verdade é uma republicação do livro “Aria” lançado em 1996 pela autora Lucinda Riley que, na ocasião, o publicou com o sobrenome Edmonds. O livro não tem previsão de lançamento no Brasil, porém, encontra-se disponível em inglês no formato ePUB. 
Diferente de todos os livros da autora, essa história não é narrada entre o presente e o passado. É uma história linear interrompida periodicamente por cartas curtas que a personagem principal, Rosanna, escreve direcionadas à um tal de Nico. O leitor não tem qualquer conhecimento de quem é Nico ou qual é a sua relação com a principal no início. É a partir das cartas que os acontecimentos da vida de Rosanna são narrados.
Tudo começa na Itália em 1966 quando os pais de Rosanna, Marco e Antônia, dão uma festa surpresa de aniversário de casamento aos seus melhores amigos, Maria e Massimo, no estabelecimento comercial da família. M. e A. moravam no andar superior juntamente com os filhos Luca (devoto aos familiares e sempre disposto a ajudar) e Carlotta (a filha mais charmosa que acabava ganhando mais atenção dos pais devido a sua beleza inegável e, prometida ao personagem Giulio), além de Rosanna.  
No desenrolar da festa, um dos personagens principais entra em cena, Roberto Rossini. Cantor lírico e filho de Maria e Massimo, que, a pedido dos pais e convidados acaba cantando um número de ópera. É nesse exato momento que Rosanna, com apenas 11 anos, apaixona-se pela primeira vez, mesmo parecendo impossível com a sua idade.   
Após o número de Roberto, Luca revela a todos que Rosanna também possui uma voz linda e com carinho pede pra ela cartar “Ave Maria”. Rosanna apesar da timidez e da insegurança, canta e surpreende a todos com a sua voz potente e angelical. Pela primeira vez em sua vida, sente-se especial com todos aqueles pares de olhos voltados para ela, já que vivia constantemente ofuscada pela presença de sua irmã Carlotta.
Roberto, surpreso com o talento de Rosanna, sugere ao seus pais que ela deveria ser instruída por algum profissional. No entanto, após a festa, o pai de Rosanna conta a ela que não tem condições para pagar um profissional e que seria melhor esquecer a ideia, já que ele mesmo não acredita muito no talento da filha.
Como uma luz no fim do túnel, seu irmão Luca que nunca deixou de acreditar no talento da irmã, acaba ajudando Rosanna e financia suas aulas. Durante o período de 5 anos, a personagem faz aulas em segredo dos pais, até que um dia recebe uma bolsa de estudo em uma das mais renomadas escolas de ópera, La Scala, onde reencontra Roberto.  
Uma história cativante que conta com um desenho perdido de Leonardo Da Vinci, os segredos da irmã Carlotta, o mulherengo e egoísta Roberto, a melhor amiga Abi, o show business, a paixão pela música, a inveja, o amor proibido e doentio, viagens por lugares inebriantes e com paisagens incríveis, desejo e traição. Em meio a tudo isso, Rosanna parte em busca do sonho de ser uma cantora renomada.

American Horror Story ganha mais uma temporada!!

Por Beatriz Guerra
|
13 de outubro
YES! American Horror Story continua!
O episódio de estreia da quarta temporada Freak Show “Monsters Among Us” da série “American Horror Story” quebrou um recorde para a FX, atingindo 10 milhões de telespectadores, alcançando a maior audiência na história da emissora! Isso garantiu a renovação da série para mais uma temporada, com 13 episódios no pacote.
A data definida para a quinta temporada – que ainda não possui um tema definido – será em Outubro de 2015 de acordo com o diretor executivo da FX, John Landgraf.
Para a tristeza da maioria (ou todos) os fãs da série, a nossa querida Jessica Lange já declarou ao receber o prêmio no Emmy, que Freak Show seria sua última temporada em AHS ):
Freak Show só chega ao Brasil em janeiro de 2015 pelo canal pago FOX.
Outra novidade para os fãs também é que recentemente, o criador da série Ryan Murphy divulgou a criação de um spin off da série, chamado “American Crime Story”, que apresentará a cada temporada uma história criminal real que teve uma grande atenção nos USA. Sendo que a primeira será a do jogador de futebol americano O. J. Simpson.
E as novidades não param de chegar (: