Mês: novembro 2014

Resenha – Marry Me

Por Santoni
|
28 de novembro
Annie e Jake namoram há 6 anos, e ao voltarem de uma viagem para o México, ambos se sentem preparados para darem o próximo passo na relação e finalmente se casarem. Porém, o pouco de suspense que Jake fizera para finalmente pedir Annie em casamento, faz com que ela surte com a demora atirando críticas para todos os lados, falando mal de tudo e de todos que eles conhecem, mostrando a diferença de personalidade dos dois e como eles em meio à muitas adversidades são conscientes que são destinados a ficarem juntos.

A série acompanha esse casal em sua jornada de finalmente se casarem em meio a loucuras familiares e rodeados de amigos com sérios ‘problemas sociais’, pra não dizer loucos.

Marry Me chega a TV em uma temporada de estreias com temática parecida, como A to Z ou até Manhattan Love Story, mas o que a destaca em relação as outras é visível nos primeiros 5 minutos do primeiro episódio, a série faz jus ao gênero comédia, arranca risadas e diverte sem compromisso, tipo de comédia tido como ultrapassado ultimamente.
Casey Wilson de Happy Endings e Ken Marino de Veronica Mars protagonizam a série como Annie e Jake respectivamente e se completam como um intrigante casal da TV americana. Casey no piloto demonstrou todo o seu talento com comédia, mais até do que o esperado para uma ex-integrante do SNL e para nós é o destaque da série.
Marry Me já teve mais episódios encomendados e é a aposta de comédia romântica da NBC. 
Nessa Fall Season as comédias românticas não estão emplacando, Manhattan Love Story da ABC e A to Z da própria NBC foram canceladas logo no começo, mas Marry Me parece estar seguindo o caminho contrário tendo mais episódios encomendados e uma audiência até que consistente.
Marry Me vai ao ar às terças feiras no canal norte-americano NBC.
 
Trailer:

Divulgado 1º trailer de “Jurassic World”

Por Santoni
|
25 de novembro
O primeiro trailer do quarto filme da série “Jurassic Park” foi divulgado hoje pela Universal Studios em seu canal oficial do youtube.

Jurassic World se passará 22 anos depois dos eventos da trilogia original, e mostrará Isla Nublar como um parque temático já consolidado, mas a procura começa a diminuir então os organizadores do parque criam uma nova “atração” para chamar a atenção do público mais uma vez, só que essa “atração” sai fora do controle.

O longa tem estreia prevista nos EUA para dia 12 de Junho de 2015 e no Brasil se chamará Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros e está programado para estrear um dia antes.

 

Original:
Legendado:

Resenha – Agora Seremos Felizes

Por Thila Barto
|
23 de novembro
Título: Agora Seremos Felizes
Título Original: Meet Me In St. Louis
Lançamento: 1944
Direção: Vicent Minnelli
Nota no Filmow: 4.1/5.0
Nota no IMDB: 7.7/10

Elenco: Judy Garland, Margaret O’Brien, Mary Astor

Duração: 113 min
Gênero: Comédia, Drama, Família

Resenha:
     Meet Me In St. Louis é um filme clássico da década de 40 dirigido por Vicent Minnelli, com quem Judy Garland (a protagonista desse filme e por quem sou apaixonada <3 ) se casou mais tarde. Esse musical está em 10° lugar na lista do 25 maiores musicais americanos de todos os tempos da American Film Institute (AFI) e está disponível até em Blu-Ray remasterizado, então não existem desculpas do tipo “a imagem é ruim” ou é em “preto e branco”. Sim, o filme é colorido.

     Quando me procuram para indicar um filme da Judy Garland, esse é o primeiro que vem a minha cabeça. A história é tão simples! Retrata uma família tradicional lidando com as ações cotidianas e as naturezas da vida como amor, medo, companheirismo, insegurança  e acima de tudo, união. Porém, mesmo parecendo tão simples, ele é muito cativante. As músicas são lindas e viciantes, a forma como o diretor lida com o cenário mostrando as diferentes estações do ano conforme o filme passa é super interessante, os personagens possuem personalidades tão diferentes que num todo tudo se torna muito agradável e o roteiro flui de uma maneira tão convincente que eu fico maravilhada toda vez que assisto. 

     O filme em si, assim como o título já revela, se passa na cidade de St Louis tendo como personagens principais a família Smith e Exposição Universal de Saint Louis de 1904, que é uma festa aguardada ansiosamente durante meses pela cidade inteira, em que os cidadãos ficam cantarolando a música tema da festa, “Meet me in St. Louis, Louis. Meet me at the fair  ♪♫ ” onde quer que estejam. Isso irrita principalmente o pai da família Smith no começo do filme, pois mesmo faltando muito tempo ainda para a exposição, não se fala de outra coisa na cidade.


Esther e sua irmãzinha Tootie
     Entrando nos personagens, a família Smith é composta pelo avô, o pai Alonzo, a mãe Anna, a empregada sarcástica Katie que já é considerada parte da família devido aos longos anos que trabalha junto aos Smiths, o irmão Alonzo Jr ou Lon, a irmãzinha  mais nova Tootie que sempre inventa alguma doença fatal para suas bonecas enterrando-as quando suas mortes chegavam e estava sempre aprontando uma aqui e alí (a atriz Margaret O’Brien ganhou Oscar como melhor atriz infantil em 1945, ela tinha apenas 8 anos e sua atuação é um dos maiores destaques desse filme.), a segunda irmã mais nova Agnes, a irmã mais velha Rose e finalmente a irmã Esther , interpretada por Garland, que está sempre ao lado da sua irmãzinha Tootie e se apaixona pelo “garoto da porta ao lado” –  “The Boy Next Door  ♪♫.”
     No começo do filme, Rose está esperando uma ligação do seu amado que no momento estava em Nova York, e tinha esperanças que nessa ligação ele a pedisse em casamento. Contudo, o horário dessa ligação estava marcado no mesmo horário que a família sempre costuma jantar. O problema era que o Mr Smith sempre chegava cansado do trabalho,por isso o seu banho e sua hora de descanso eram hábitos que ele não estava disposto a mudar. Para driblar o Mr Smith, a família tenta inventar várias desculpas para fazê-lo jantar uma hora mais cedo, só que ele não dá o braço a torcer. Com a ajuda de todos os familiares, inclusive da empregada, eles comem o mais rápido que podem na hora tão esperada do jantar, deixando Mr Smith muito confuso sobre tudo o que estava acontecendo. Quando o telefone finalmente toca, todos ficam alarmados com a situação e sem saber o que fazer, porém Mr Smith o desliga sem pensar duas vezes, o que deixa Rose à beira de lágrimas, deixando-o ainda mais confuso em relação à tudo. Exigindo explicações, ele descobre o que estava acontecendo e se sente um pouco excluído em relação aos demais familiares e pede para que isso não se repita, pois afinal de contas ele faz parte da família. Felizmente, o telefone toca novamente e Rose atende a ligação e para a sua surpresa, o pedido de casamento não é feito. Os familiares entram em seu apoio e tentam começar vários assuntos aleatórios fingindo que nada tinha acontecido. 




     Com a frustração em relação ao pedido de casamento, Rose começa a procurar novos pretendentes e Esther, por outro lado, está sempre observando o seu vizinho John Truett .  Com a comemoração de despedida de seu irmão que tinha ingressado na universidade Princeton, ela enxerga a possibilidade de finalmente conhecer e atrair o seu amado convidando-o para a festa.
 

“E:- Rose, tomei uma decisão.Vou deixar John me beijar hoje.
 R: – Esther Smith!!!!!
 E: – Se vamos nos casar, é bom começar.
 R: – Boas moças não se deixam beijar antes do noivado. Os homens não querem moças sem frescor.
 E: – Pessoalmente, acho que eu tenho fresco demais!”



    Mas quando tudo estava indo tão bem e a Exposição de St Louis estava finalmente chegando, Mr Smith chega com a notícia de que iam se mudar para Nova York devido a sua promoção no trabalho. Com os pensamentos de tudo o que iriam perder, as amizades, a feira, o novo amor e a cidade, a notícia deixa todos desolados. O que acontece depois!? Só assistindo ao filme para saber ;).
Ps: Judy Garland inicialmente não queria fazer esse filme, pois estava “cansada” de interpretar jovens ou adolescentes. Ela aspirava por um papel mais maduro, porém, no fim das contas, ela revelou que foi um de seus trabalhos favoritos e que se divertiu muito.
Um pequeno detalhe que eu particularmente adoro sobre a direção de Minnelli é que em muitas cenas, ele colocou Garland em torno de “molduras”, como se fosse uma obra de arte a ser contemplada, dando mais um toque especial no filme e em sua protagonista:


Cena em que Garland canta “The Boy Next Door”
Trailer do filme:

Uma das cenas mais fofas com a irmã Esther e a sapeca Tootie: 

A Esperança Parte 1 é banido da Tailândia por instigar revolucionários.

Por Equipe Nunca Desnorteados
|
21 de novembro
 
A série de livros que inspirou tantas pessoas também o fez com os revolucionários tailandeses.
O país sofreu um golpe militar em maio desse ano e agora vive em lei marcial que instaurou toque de recolher e proíbe reuniões de cunho político. Os políticos e ativistas anti-golpe foram presos, a internet censurada, e os meios comunicação controlados pelo governo. Um grupo revolucionário que luta contra o golpe militar adotou o símbolo da revolução visto em “Jogos Vorazes” na vida real contra os militares, por causa disso o penúltimo filme da série foi proibido de ser exibido nos cinemas do país todo.

Porém a estréia já tinha acontecido e os shoppings ficaram lotados de pessoas levantando três dedos, como os personagens do filme, demonstrando seu descontentamento com o governo totalitário.

Como será que a genial Suzanne Collins está se sentindo sabendo que não inspirou somente jovens a lutar pelo que acreditam, mas uma população inteira.
Jogos Vorazes: A Esperança Parte 1 já está em exibição nos cinemas do mundo inteiro.


Lançado trailer de “A Escolha Perfeita 2”

Por Santoni
|
20 de novembro
O trailer da sequência de “A Escolha Perfeita” acaba de ser divulgado no canal do youtube da apresentadora norte-americana Ellen DeGeneres.

A Escolha Perfeita 2, assim como o primeiro, será uma adaptação do livro de Mickey Rapkin, e continuará a contar a jornada das “The Barden Bellas” e de suas integrantes que são, no mínimo, intrigantes.

O filme tem no elenco Anna Kendrick, Rebel Wilson, Brittany Snow, Anna Camp, e Skylar Astin e foi dirigido por Elizabeth Banks, que além de atuar em “Minha Casa Caiu” e interpretar Effie Trinket na saga Jogos Vorazes produziu o primeiro filme.
A estreia está prevista para 15 de maio nos cinemas norte-americanos!
Trailer:

Resenha – Enfeitiçados Pelo Desejo.

Por Dalila Correia
|
16 de novembro
Autor(a): Sylvia Day
Editora: Leya
Ano: 2013
Páginas: 160
Nota no Skoob: 3,1/5
Gênero: Romance/Erótico

“Tinha tudo para ser uma boa história, porém, a autora só se interessou no “romance”, se é que me entendem…”

O livro é dividido em três contos, “Um tipo familiar de magia”, “Aquela velha magia negra” e “A mulher da magia negra”. O que me deixou desgostosa com o livro é o fato dele NÃO ter um enredo, pois o começo dá impressão que a história já está na metade e isso deixa muito confuso.


Victoria perdera seu grande amor, seu Bruxo Darius, ao enfrentar os 3 irmãos chamados de Triunvirato. Mas, antes de morrer, Darius transferiu todo o seu poder para Victoria com um feitiço, o qual Victoria nunca esqueceu. E durante os últimos 200 anos, ela vem desafiando o conselho a fim de enfrentar o Triunvirato e poder se vingar. Porém, Max, um incrível feiticeiro caçador, recebe a missão de caçá-la e fazê-la submeter-se a seus desejos para depois entregá-la ao conselho.Contudo, uma intensa conexão surge entre os dois e isso mudará os planos de Max.

Victoria, que é uma dominadora, fez com que todos os caçadores que foram atrás dela se rendessem (porém, não deixa claro no livro o que acontece com os caçadores depois disso), e quando ela conhece Max, acredita que fará o mesmo. No entanto, Max também é um dominador e pega no ponto fraco de Victoria que é o mimo. Sim, Victoria adora ser mimada, justamente pelo fato dela ser uma “Familiar” e poder se transformar em gato. De cara os dois vão para cama, e Max ensina aos poucos à Victoria o quão bom é ser dominada e então ela acaba se rendendo (muito fácil por sinal), e descobrem que o poder deles quando estão juntos se torna mais forte, além de uma conexão espiritual existente entre eles. Max resolve não entregar Victoria para o conselho, e então começa (ou deveria começar ) a história.

Os dois então, passam a fugir do conselho. E aproveitam esse tempo para aumentar suas forças, pois todas as vezes que vão para cama, o amor e o desejo que sentem um pelo outro, aumentam a “magia branca” que eles possuem. Até que chega o momento que enfrentam o Triunvirato. Aí tu pensa “Uhuuu agora a coisa ficará boa!”. Mas não, não fica!!! A cena é muito curta e sem detalhes. Acontece algo com Victoria, que acredito ser o ápice da história, e só! E tuudo isso, acontece no segundo conto.

O terceiro conto é até melhor, pois começamos a entender a história. E então, tu pensa, “Uhuu agora vai ficar da hora”. E quando tu menos imaginas, o livro acaba. Bem, não sei mais o que comentar, a não ser o sentimento de frustração que senti quando terminei. O livro é bem Hot, bem ao estilo Sylvia Day. Mas isso só não basta.

A autora poderia ter explicado melhor o mundo que envolve os personagens, bem como a própria história dos personagens principais. Pois passamos mais da metade do livro com aquele sentimento “Mas o que está acontecendo mesmo? Como a história chegou a este ponto?”.

Não é um livro que recomendo ):

Resenha – The Mysteries of Laura

Por Thila Barto
|
13 de novembro
    Após assistir Will & Grace, uma série de comédia super divertida transmitida originalmente pela NBC durante os anos 1998-2006, tornei-me super fã de Debra Messing e comecei a assistir qualquer coisa em que seu nome aparecia, desde aparições pequenas como em “Quero Ficar com Polly” até “Muito Bem Acompanhada”, no qual ela é a protagonista. Estou sempre torcendo para que Debra consiga deslanchar em uma nova série, afinal depois de Will & Grace, nenhuma série foi muito duradoura para atriz, como podemos perceber com “The Starter Wife” e  “Smash” que apresentaram apenas duas temporadas. Agora a pergunta é: Será que “The Mysteries of Laura” vai durar para a atriz? Espero imensamente que sim. 

    Essa nova série americana é uma adaptação da televisão espanhola “Los Misterios de Laura” contando a história de uma peculiar detetive policial que investiga crimes de alto escalão e sempre está contando com a ajuda da sua dupla de investigação, Billy. Laura tem um certo “sexto sentido” que sempre leva em consideração durante suas investigações, ela vai além do óbvio e nunca deixa a sua intuição de lado mesmo quando alguém pensa ou acredita o contrário. Mas, além de exercer a sua profissão, ela tem que lidar com os seus dois filhos gêmeos que são uns verdadeiros pestinhas e estão sempre aprontando alguma coisa ao nível de serem expulsos de sua escola atual, e seu marido Jake, com quem está tentando se divorciar. Laura não está disposta a perdoar a traição de Jake, insistindo para que ele assine logo os papéis da separação, porém ele não dá o braço à torcer. 

 

 

Coincidentemente Jake também é policial. Ele e Laura trabalham em quartéis diferentes, até que para a surpresa de Laura, Jake é transferido para o seu quartel como o novo líder.

 

Como será que Laura irá lidar com o seu marido como seu novo chefe? Isso é uma coisa que iremos descobrir juntos.
Achei a série bem convincente e divertida ao mesmo tempo. Tem umas piadinhas bem colocadas que tira um pouco da seriedade do todo. Super recomendo.



O Trailer oficial não está disponível para compartilhar por aqui, no entanto confiram essa pequeno pedacinho logo abaixo.

Clip:

Resenha – Mundos Opostos

Por Beatriz Guerra
|
10 de novembro

Título: Mundos Opostos

Título original: Upside Down
Lançamento: 2012 (EUA)

Direção: Juan Solanas

Nota no Filmow: 3,5/5
Nota no IMDB: 6,4/10
Duração: 110 min.
Gênero: Romance, Ficção Científica
“Gravidade. Dizem que não se pode lutar contra ela. Eu discordo. E se o amor for mais forte do que a gravidade?”
Resenha:
Se você é um amante de qualquer ciência exata ou da natureza, deixe as perguntas para depois que assistir ao filme, somente depois. Acredite, se você fizer perguntas durante, o resultado será apenas confusão. Digo isso por experiência própria.
Upside Down é um daqueles filmes cativantes que logo que você lê a sinopse e vê o cartaz principal, já fica interessado e quer assistir logo. Mas ao começar a assistir, depara-se com alguns problemas que podem bagunçar um pouco sua cabeça. O filme de Juan Solanas depende muito da capacidade de percepção do espectador para compreendê-lo.
Sabe aqueles filmes que começam com todas as explicações bem no início acompanhado de imagens incríveis do universo afim de suprir algumas das perguntas que o espectador fará ao longo do filme?
Imagine o seguinte: Aparece na tela uma galáxia, estrelas se formando, o universo em sua plena beleza, você então ouve a voz de um narrador ao fundo contando uma história enquanto isso. A história sobre planetas gêmeos orbitando uma estrela, esses mesmos planetas um em cima do outro (do jeito leigo de falar), são mundos com forças gravitacionais opostas. 

 

           Até que o narrador começa a explicar como funciona essas gravidades, ele fala basicamente sobre como funcionam as 3 leis principais dessas gravidades inversas sem aprofundar muito, conta que um planeta de cima (Up Top) é o mais próspero e rico, onde todos os afortunados vivem suas vidas egoístas, enquanto o planeta de baixo (Down Below) é o planeta dos pobres (pra não falar outra coisa), que tem como principal propósito a extração de petróleo para o sustento de energia de Up Top. O contato entre os habitantes desses planetas é estritamente proibido. A voz também conta que muitas das pessoas que vivem no planeta de baixo ganham a vida roubando materiais de gravidade inversa que acabam por “cair” do planeta de cima, além da “TransWorld”, a super companhia responsável pela extração de petróleo, que tem um prédio gigantesco que interliga os dois mundos.
 


                Logo em seguida, o narrador finalmente começa a contar sua própria história. Seu nome é  Adam (Jim Sturgess), conta como seus pais que trabalhavam na TransWorld morreram durante um acidente com o petróleo que devastou uma boa parte de Down Below (o nome dos planetas não são falados no filme, os personagens sempre se referem com as expressões Up Top e Down Below), sua vida no orfanato, seus fins de semana passados na casa de sua tia-avó que fazia panquecas voadoras para ele com um tipo de pó de abelha rosa mágico(no filme não parece tão idiota), até que um dia quando ele sai da casa da tia que pede para que ele busque mais do pó rosa nas montanhas, ele se apaixona.
    Essas montanhas são tão altas, mas tão altas, que quase tocam as montanhas do mundo de cima. Ao subir em uma delas, ele joga seu avião simples de papel que acaba caindo numa das montanhas de Up Top, onde uma menininha, Eden (Kirsten Dunst), procurava seu cachorro. A pura amizade deles começa a partir daí e logo na próxima cena, constatamos que os dois já estão na adolescência e vivem um romance proibido.
 


No entanto, um dia ocorre um evento que faz com que Eden acabe por voltar ao mundo dela de uma forma nada segura e confortável, sofrendo um acidente ao levar uma batida forte na cabeça, a imagem de seu corpo frágil com uma quantidade razoável de sangue escorrendo pela cabeça leva o espectador a crer que ela está morta. Enquanto isso, Adam leva um tiro no braço e é pego pelos policiais, que destroem a casa de sua tia e a levam embora, deixando-o sozinho no mundo.
Dez anos se passam logo após isso, vemos Adam trabalhando em uma pequena oficina tentando desvendar os mistérios do pó de abelha rosa. Ele faz alguns experimentos com um creme extraído desse pó que rejuvenesce a pele da pessoa, e tenta entender como tudo isso funciona. Até que um dia, passa um programa da TransWorld na televisão da oficina e ninguém menos que a própria Eden aparece completamente viva e disposta na tela. E aí que a aventura começa de verdade.
Adam começa a trabalhar na TransWorld após apresentar o seu creme mágico rejuvenescedor à companhia para tentar encontrar Eden. Ele solicita alguns metais de gravidade inversa como parte do trabalho e começa a roubar esses materiais e a esconder em um local secreto da companhia. Com ajuda de seus amigos na oficina, cria um tipo de colete para colocar debaixo da roupa que após colocar os materiais de gravidade inversa presos no colete, é possível se ambientar na gravidade de Up Top por uma quantidade limitada de tempo. Adam faz amizade com um homem de Up Top chamado Bob (Timothy Spall) e que também trabalha na TransWorld, ajudando-o secretamente na sua busca por Eden.
Sim, o Adam encontra Eden e fica surpreso ao constatar que ela não se lembra dele. Por quê? Por causa do acidente, ela fica com amnésia e não se lembra de absolutamente nada antes do ocorrido, ela tem a infância e a adolescência completamente perdidas.
O resto do filme trata das lutas constantes e desafios que Adam enfrenta tentando passar mais tempo com Eden com o intuito de “acender” pelo menos alguma memória de Eden sobre eles juntos, fazendo tudo isso em segredo.E não vai ser fácil.
 


Mas, voltemos aos problemas aos quais eu me referi no começo. O que acontece é o seguinte: a história é legal, o romance é lindo e fofo, os cenários são magníficos. Porém, fica difícil entender como as gravidades inversas funcionam porque os criadores não dão muitas informações e até parecem burlar algumas de suas próprias regras em determinados momentos.
Primeiro que você não deve de jeito nenhum fazer perguntas como “como funciona as órbitas dos planetas?”, “como pode ter pôr e nascer da estrela?”, “por que não mostrou em nenhum momento as tais das abelhas rosas?”. Você irá se frustrar tentando entender como funciona porque o filme não dá uma mínima explicação acerca disso.
É isso que eu quero dizer quando os criadores do filme prefeririam colocar uma explicação básica sobre gravidade logo no início afim de suprir as perguntas que o espectador terá ao longo do filme. Você não tem que perguntar, só tem que aceitar, porque senão só ficará confuso. O filme já é um tanto caótico, e se você bater mais nessa tecla, vai acabar não gostando.



Eu particularmente enfrentei um pouco de dificuldade para entender como ele conseguiu mudar de gravidade tão rápido no início. Por exemplo, logo após Adam ver Eden na televisão, a próxima cena já o mostra entrando na TransWorld, sentando em uma mesa no escritório e começando a trabalhar. Você começa a se perguntar “como ele conseguiu isso?” e só depois de uns minutinhos que a explicação vem. Ou seja, você vai precisar ser paciente, muito paciente.
O que você aprende com isso é que as explicações sempre vem depois, então quando aparece outra cena que você não compreende, você pensa “tudo bem, eles já vão mostrar logo como isso aconteceu”, só que aí..aí que eles não explicam e você tem que quebrar a cabeça pra entender.
Outro exemplo disso que estou falando: no final do filme, o Rabicho ( O  Bob, mas para mim, ele será eternamente o Rabicho de Harry Potter) baseado em uma experiência que o Adam fez, junta um pouco de água normal do planeta dele (Up Top), com um pouco de água de Down Below misturada com o pó rosa, e as mistura, criando um tipo de líquido que flutua no espaço como se estivesse sem gravidade. E de repente, logo após isso, ele aparece em Down Below na oficina onde Adam trabalha andando no mundo deles normalmente, contando a todos que fez uma “hiperfusão” que o permite ficar o tempo que quiser em qualquer planeta. Ele joga tudo isso em você, como se estivesse vomitando, e não explica como ele aplicou isso em seu próprio corpo, se fez um colete especial ou não. Dúvidas e mais dúvidas. Se alguém entendeu, por favor, ajude essa pobre alma aqui.
Mesmo com toda a lógica confusa, o romance é tão puro e cativante que você acaba sendo levado por ele. É uma viagem para um mundo (ou mundos, nesse caso) completamente interessante que tem que ser acompanhada com muita imaginação e paciência. Você será arrebatado pelos cenários e pela história e não se arrependerá. E mesmo que você não goste quando terminar de assistir, não vai poder afirmar em nenhum momento que o filme não é lindo. Imagine que incrível seria olhar para o céu e ver o reflexo do seu planeta, um reflexo melhor ou pior dependendo de onde você estivesse, em Down Below ou em Up Top. Eu com certeza toparia uma viagem dessas. E se serve como mais um motivo para forçar você a assistir ao filme: tem o Jim Sturgess (lindo e maravilhoso <3 quem gosta de Cloud Atlas, One Day, Across the Universe e muito mais,sabe do que estou falando). Vale a pena conferir.

Divulgado nome do próximo filme da franquia Star Wars

Por Thila Barto
|
7 de novembro

 

     Já podemos comemorar!? Sim!! Nessa quinta-feira (06), a Disney além de anunciar o novo “Toy Story 4” também divulgou em seu Twitter que as filmagens do episódio VII da nossa amada saga “Star Wars” já acabaram! O longa que irá para os cinemas no dia 18 de dezembro de 2015 ganhou o título de “Star Wars: Episódio VII – The Force Awakens”. A tradução em português do título deverá ser “O Despertar da Força”.


    A direção foi realizada pelo cineasta J.J. Abrams, que também fez as direções de Star Trek e Star Trek 2. O elenco do filme traz Adam Driver, Oscar Isaac, Andy Serkis, Domhnall Gleeson, Max von Sydow, John Boyega, Daisy Ridley, Lupita Nyon’go e Gwendoline Christie, além das estrelas retornantes Harrison Ford, Carrie Fisher e Mark Hammill.


    Além da notícia, George Lucas afirmou: “chegou a hora de passar ‘A Guerra das Estrelas’ a uma nova geração de realizadores”.


E aí, ansiosos? Que venha 2015!


Disney anuncia “Toy Story 4” em junho de 2017

Por Thila Barto
|
OH YES! A Disney anunciou nessa quinta-feira (06) que Toy Story vai voltar para as telonas no dia 16 de junho de 2014. A informação foi divulgada por Bob Iger da Walt Disney Company, durante uma relatório de receitas da companhia.


“O John criou Toy Story e dirigiu os dois primeiros filmes, e é fantástico poder contar com ele de novo para realizar uma das propriedades intelectuais de maior valor que temos,” disse Bob Iger.


“Só fazemos uma sequência quando temos uma boa história que é tão boa ou melhor que a original.” disse Lasseter.


Lasseter também revelou que a história irá começar exatamente onde Toy Story 3 parou com Andy se despedindo de seus amados brinquedos.


Você também ama muito esse personagens e não vê a hora de poder reencontrá-los nas telonas!? Mas, antes de esperarmos ansiosamente até 2017 os personagens ganharão um novo especial de tv no final desse ano chamado “Toy Story That Time Forgot” que se passa durante uma brincadeira de Natal. O especial será exibido no dia 02 de dezembro na televisão americana.
Até lá!