Mês: junho 2015

Resenha – Stitchers

Por Santoni
|
30 de junho
“Memórias nunca morrem.”


   Kirsten é uma jovem mulher, com displasia fibrosa do osso temporal, que é recrutada por uma secreta agencia governamental para participar de um programa secreto e ser ‘costurada’ (‘stitched’) na cabeça de pessoas recentemente mortas e navegar por suas memórias para solucionar crimes e mistérios que, sem o programa, iriam para a lápide.. 

   A série narra a história de Kirsten (Emma Ishta), que possui uma doença que afeta a sua percepção do tempo e de emoções. Ela está em um programa de PhD (doutorado) na Cal Tech, mas é suspensa depois de ser acusada por sua colega de quarto, Camille (Allison Scagliotti), de ter sabotado um de seus projetos. Após uma louca sequencia de eventos a protagonista se depara com Maggie (Salli Richardson-Whitfield), a chefe de uma divisão secreta responsável pelo programa ‘Stitchers’. A equipe do programa também conta com o neurocientista Cameron (Kyle Harris), responsável pelo programa, Linus (Ritesh Rajan), um engenheiro bioelétrico e técnico de comunicação, Ayo (Sola Bamis), responsável em manter os ‘stitchers’ vivos.. entre outros..

   O conceito de Stitchers é inovador e muito interessante. O primeiro episódio foi bem corrido, talvez até demais, e acabou atropelando muitas coisas e esperadas reações de determinados personagens. O recrutamento aconteceu de uma hora pra outra, a aceitação do desconhecido da protagonista foi um pouco forçada, a explicação da divisão de inteligência ficou no ar tbm, além das necessidades do programa, porque vemos várias estações, mas a importância da maioria delas passou despercebida.. ficando parecendo muito ‘fácil’ fazer o que estavam fazendo.
 
   Mas a série é bem dinâmica e interessante e vale a muito a pena dar uma conferida nessa estréia! Para os fãs de sci-fi, serviço de inteligência, casos semanais e ação não podem deixar de assistir.
 
Stitchers vai ao ar as terças-feiras no canal norte-americano ABC Family!
 
Promo:
 

Resenha – Mr. Robot

Por Santoni
|
23 de junho
“Nossa democracia foi hackeada”
     Elliot (Rami Malek) é um engenheiro de segurança virtual durante o dia e um hacker habilidoso de noite. As coisas começam a mudar quando ele é abordado pelo ‘Mr. Robot‘, um habilidoso hacker e ‘cabeça’ de uma organização chamada ‘fsociety‘ (hehe) que espera recrutar Elliot para atacar a empresa que é pago para proteger.

 

  Para começar Elliot é um jovem adulto extremamente perturbado com o mundo e revoltado com basicamente tudo que move uma sociedade. Além de ter perdido o pai ainda muito jovem e ter uma relação ’em aberto’ com a mãe, Elliot costuma frequentar regularmente uma psicóloga com quem é bem apegado, mesmo, aparentemente, ela não ser de muita ajuda. Vale notar também que ele é usuário de morfina e possui alguns problemas de intimidade e contato físico (abraços, toques, etc..) com algumas pessoas e em algumas situações.
    ‘O que as pessoas normais fazem quando elas ficam tristes assim?’
 
    É meio que possível classificar o protagonista como um ‘Robin Hood’ da era moderna, já que ele vai atrás de ‘mal-feitores’ e usa suas habilidades para conseguir fazer o que acha certo, mesmo que suas motivações pareçam um pouco tanto quanto duvidosas…
 
     A série em si leva à TV uma versão muito mais trabalhada e sem muitas delongas daquilo que ‘Eye Candy‘ tentou fazer em sua produção, só que dessa vez, o protagonista é muito mais problemático e paranoico, descrevendo o mundo de um jeito único, original e perturbador, expondo fatos que faz o telespectador parar, absorver o que foi falado/mostrado e refletir sobre assunto. A série tem uma mistura louca de fatos/ficção e o limite entre um e outro, quase sempre, nunca estão bem definidos. 
 
     ‘Mr. Robot’ é fascinante, intrigante, curiosamente genial e reúne elementos dos grandes livros que criticam a sociedade (1984, Admirável Mundo Novo, O Outsider…) além de levantar várias dúvidas e questionamentos da sociedade atual. Então se você gosta de algum desses livros, de pensar sobre a influência da tecnologia na sociedade ou de dramas psicológicos essa é uma ótima dica!
 
      A série vai ao ar nas quartas-feiras no canal norte-americano USA Network.
     Lembrando que a USA Network cancelou Covert Affairs então não mereceria mais meu amor, mas Mr. Robot tem uma ótima história e um personagem mais complicado que o necessário pra fazer uma série crescer! DAMN YOU USA!

Trailer:

Resenha – The Sound of Glass

Por Thila Barto
|
22 de junho

Título: The Sound of Glass

Autor(a): Karen White
Editora: NAL – New American Library
Ano: 2015
Páginas:  432
Nota no Skoob: —
Gênero: Ficção, Drama, Romance

“Only fools thought all glass was fragile”

Resenha:
 
     Como falar dessa maravilha de livro? Acho que uma palavra resume: Sensacional!!! Foi literalmente impossível largar esse livro do começo ao fim, o que me fez pensar e me perguntar: como essa autora pode estar sem editora aqui no Brasil? Ninguém está vendo o seu tremendo sucesso com livro bestseller atrás de livro bestseller?! Os únicos livros publicados da autora aqui são os: “Após a Tempestade” e “De Volta Para Casa”, que são excelentes também e super recomendo.

      Enfim, o livro “The Sound of Glass” tem uma narração muito semelhante ao livro ‘Após a Tempestade’ e aos livros da Lucinda Riley que contam histórias com personagens do presente e do passado e suas possíveis conexões. O livro possui três narradores diferentes. Edith, Merritt e Loralee.
 
     No início, somos apresentados à Edith em 1955. Enquanto trabalhava ela percebe que o céu está ficando muito estranho, ganhando uma cor diferente e, quando se dá conta, incontáveis pedaços de avião estão caindo do céu. Nisso, enquanto ela tenta resgatar o seu filho e se proteger, ela acaba achando uma mala e sua reação foi guarda-la. Quando Edith volta para a casa em segurança e abre a suposta mala que achou, ela tem uma enorme, preciso repetir isso, ENORME surpresa! Ainda mais após ler a carta que havia dentro dela. Ela jurou para si mesma que iria levar esse segredo para o seu túmulo.
 
      Logo após do leitor ser instigado pela autora com uma curiosidade imensa de saber o que estava escrito naquela carta, somos levados para 2014, onde Merritt Heyward está recebendo a herança de seu falecido marido, Cal. Nessa herança, Merritt acaba herdando a casa da avó de seu marido em Beaufort, Carolina do Sul, e sim caro leitor, essa casa é a casa de Edith do início do livro. Assim, a primeira conexão dos personagens do passado com o presente é feita pela autora. Com a missão de recuperar e restaurar a casa que acabou de herdar, Merritt viaja para Beuafort, onde os segredos residem.

“Eu senti que a casa estava esperando por mim, nós estávamos esperado uma pela outra, cada uma necessitando que nossa poeira e teias de aranha fossem limpadas.”

     Chegando na casa, Merritt tem muitas surpresas. Primeira: Ela não sabia que Cal tinha uma irmão, Gibbes. Segunda: Nem Gibbes sabia que o irmão tinha casado. Terceira: O sótão, o antigo lugar de trabalho de Edith, era o único lugar da casa que estava trancada e não havia sinal algum da chave. Quarta e ultima: Sua madrasta, Loralee, aparece na porta juntamente com o seu meio irmão, Owen de 10 anos, para morar junto com ela. Isso deixa Merritt extremamente furiosa, pois Loralee é uma parte de seu passado que tinha deixado para trás e não fazia questão alguma de querer relembrar, porque afinal de contas, ela ‘roubou’ seu pai dela, e sua mãe não precisava ser substituída, assim, ela diz à Loralee que é somente uma visita e que ela precisava arranjar logo um outro lugar para morar.  
 
     Agora, o que estava escrito na carta? Um coisa CHOCANTE! O que tinha dentro do sótão? Coisas PERTURBADORAS! Porque Cal escondeu seu passado e queria apagar da sua memória sua vida na casa de sua avó? Qual o motivo de Loralee buscar amparo em sua meia filha mesmo sabendo que ela a odeia? Porque Gibbes também não sabia que seu irmão era casado? O que causou o acidente de avião e porque os personagens carregam TANTOS SEGREDOS? Só lendo você irá descobrir os porquês e as suas conexões, entretanto uma coisa eu já posso revelar: NADA é por acaso.

      Super recomendo esse livro!!!!!! Então se você ler e perceber que um dos personagens escutou o “The Sound of Glass” (Som de Vidro) emanado dos ‘sinos de vento’ que estão espalhados por toda a casa, feitos por Edith com os vidros do mar, pode segurar o coração porque alguma coisa irá acontecer. O livro com toda a certeza entrou na minha lista de favoritos e as ligações que a autora faz entre os acontecimentos e os personagens são literalmente GENIAIS.
“Music like words trying to tell me something in a language I didn’t understand”
      Eu já era fã da Karen White, e depois de ler esse livro eu virei uma fã devota de seu trabalho. Além de que, ela ganhou MUITOS pontos comigo ao revelar seu favoritismo pelo filme e livro do ‘E o Vento Levou’.
 

Leiam, leiam leiam
😉

Resenha – Sonhos Lúcidos

Por Beatriz Guerra
|
19 de junho

Título: Sonhos Lúcidos: Um Guia para Dominar a Arte de Controlar Seus Sonhos

Título Original: A Field Guide to Lucid Dreaming
Autores(as): Dylan Tuccillo, Jared Zeizel, Thomas Peisel
Editora: Editora Sextante
Ano: 2015
Páginas:  256
Nota no Skoob: 4.0
Gênero: Romance
 
“Eu estou sonhando?”


     Essa é uma pergunta que faço constantemente após a leitura desse livro.
 
     Quem nunca acordou para a realidade desnorteado devido a algum sonho ou pesadelo e ficou curioso em saber mais? Pensem no filme “A Origem”, que leva um grupo de pessoas a adentrarem o sonho de uma pessoa para inserir uma ideia na mente dela e fazer com que esse indivíduo tenha essa “semente” em mente assim que acordar e realize uma ação originada dessa ideia. Louco, não? Quem nunca teve curiosidade para saber sobre isso? 

 
     Os Sonhos representam um campo pouco explorado, curioso e interessante. Um mundo a ser desbravado. É exatamente isso o que esse livro nos trás: a oportunidade de saber mais sobre o mundo dos sonhos. Ter um sonho lúcido significa a capacidade de você reconhecer que está sonhando durante um sonho, você saber que aquilo não é a sua realidade. A vantagem disso é que: você sabe que aquilo não é duradouro e tem a chande de explorar um mundo completamente novo, hi5 para os aventureiros! 
 
     Esse incrível Guia de Sonhos Lúcidos apresenta ao público os diversos trabalhos  de pesquisadores ao redor do mundo sobre essa questão de sonhos, assim como explica os estágios de um sonho e o passo a passo para qualquer um alcançar um sonho lúcido. Seguindo todas as etapas corretamente, com muita paciência e tentando sempre, é possível que você consiga realizar esse feito! Eu sei que já estou treinando! 
 
      Caro leitor, se você é uma pessoa tão curiosa quanto eu a respeito desse assunto, a leitura é muito recomendada! Ela irá te levar a outro mundo, literalmente. 

Resenha – Álbum de Casamento

Por Equipe Nunca Desnorteados
|

Título: Álbum de Casamento

Título Original: Vision in White
Autor(a): Nora Roberts
Editora: Editora Arqueiro
Ano: 2013
Páginas:  279
Nota no Skoob: 4,2
Gênero: Romance


Resenha:
 
     Mac é umas das quatro amigas donas da empresa Votos, uma empresa que faz casamentos. Cada mulher atende uma área, a protagonista nesse primeiro livro é a fotografa. 


      Um dia, quando ela derruba café e tira a blusa para se trocar, conhece Carter, professor da escola local, irmão da noiva, lindo e desengonçado, que bate com a cara na parede, literalmente, ao tentar sair do estúdio de fotografia.

     Quando terminei de ler esse livro estava morrendo de vontade de tirar fotos de casamentos, queria ter uma empresa com as minhas melhores amigas e obvio conhecer um professor gato.
 
    Hoje em dia, quando pego um livro da Nora Roberts para ler, fico com minhas expectativas no céu e ela nunca me decepciona, com uma escrita impecável, ela te faz viajar nas histórias não só da Mac e do Carter, mas de todos os personagens. Assim que termina precisa ler o próximo e depois mais um e então outro.
 
     Diferente de muitos livros de romance que estão sendo publicados, Nora nunca cria personagens que são fracos, inocentes, dependentes ou etc, todos são independentes e profundos, a cada pagina o leitor conhece um faceta nova daquela “pessoa”.
 
  Se você gosta de romance, casamento, pessoas desengonçadas, uma escrita maravilhosa e personagens com atitude esse livro tem que estar na lista de próximos a ler.

Resenha – Jurassic World

Por Thila Barto
|
15 de junho

 

     Como começar a falar desse filme? Tudo começou lá em 1993 quando Steven Spielberg se baseou no livro de Michael Crichton para fazer o primeiro Jurassic Park. Nesse quarto filme, Jurassic World, a história é bem simples e corriqueira. Confesso que não lembro muito bem dos filmes anteriores. Eu costumava assistir aos filmes quando eles passavam na típica seção da tarde junto com o meu pai e lembro que eu ficava apavorada.

 

     Enfim, a história do filme se resume em: Após 20 anos dos acontecimentos do filme anterior, um novo parque é criado na mesma ilha na Costa Rica com uma grande variedade de dinossauros desenvolvidos em laboratório. Porém, com o enorme desenvolvimento tecnológico e com a intenção de atrair cada vez mais visitas para obter mais lucro, o dono do parque está sempre tentando desenvolver um novo dinossauro, cada vez mais perigoso, com mais dentes, maior, mais “cool”, pois afinal de contas, quem não iria ficar histérico com um novo dinossauro e não gostaria de revisitar o parque?

  Temos como protagonistas do filme Gray, um menino que é fissurado em dinossauros e sabe tudo sobre eles, e seu irmão Zach, um adolescente que inicialmente não estava muito a fim de fazer a viagem para o parque. Além de usufruírem das atividades do parque, a proposta era passar um tempo com a tia deles, Claire, que faziam anos que não se viam e é uma das responsáveis pelo parque.

      Tudo vai bem até que: Aquele tal dinossauro “cool”, com mais dentes, maior e mais perigoso escapa do seu cativeiro, colocando a vida de todos que estão na ilha, em perigo. Assim com ajuda de Owen, que também trabalhava no parque na domesticação de Velociraptors, Claire e a equipe do parque partem na missão de capturar a grande fera.

     O que eu senti com esse filme? Além de sentir que eu estava dentro do jogo RollerCoaster inicialmente (sério, pra mim pareceu muito), achei que faltou mais suspense. Diferente dos primeiros filmes eu não tomei ‘sustinhos’, não fiquei apreensiva, não me importei nem um pouco com as mortes e alguns ‘furos não foram tampados’ na história. Maaas, é um filme bem bacana para assistir com os amigos, pois não é monótono, os efeitos são bem legais e cara, são dinossauros e dinossauros são legais.

 

      E para finalizar, preciso aplaudir de pé a atriz Bryce Dallas Howard, porque olhaa, correr de salto o filme inteiro é uma arte de se admirar, rsrs. Confiram logo abaixo o trailer do filme:

 

Resenha – The Whispers

Por Santoni
|
13 de junho

 

“Nem todos os amigos imaginários são imaginários.”

 

Uma força invisível está ameaçando o planeta Terra arquitetando esquemas para um grande plano de dominação e destruição e para isso está manipulando os habitantes que levantariam menos suspeitas ao contribuírem para tal tarefa – as crianças.

A premissa é simples e intrigante, assim como o episódio piloto, que revela tudo, mas ao mesmo tempo nada. 

Claire Bennigan (Lily Rabe) é uma agente do FBI especialista em crianças que é inserida em um caso curioso e intrigante que envolve um ‘acidente’ doméstico entre uma mãe e uma filha, filha essa que possui um ‘amigo imaginário’ chamado Drill que gosta de um tipo de jogo que ‘nunca acaba bem’. É encontrada uma conexão do ‘amigo imaginário’ Drill com outro caso mais antigo, o que desenvolve uma complicada e enorme rede de mistérios e perguntas sem respostas.

The Whispers é protagonizado por Lily Rabe, de American Horror Story, que foi o chamariz da série, por assim dizer, pois desde que foi confirmada que não estaria na quarta temporada de AHS têm chamado atenção para esse projeto, porque todos que se apaixonaram pelas personagens Mary Eunice e Misty Day queriam ver mais de Lily Rabe. O elenco ainda conta com Barry Sloane (Aiden, em Revenge), Kristen Connolly (Christina, em House of Cards) e Milo Ventimiglia (Peter, de Heroes) e uma brilhante seleção de atores mirins que ganham o destaque em quase todas as cenas.

A série tem elementos de The Leftovers, Extant e com certeza uma outra série sobrenatural alienística (LOL?) de seu gosto.. e por se tratar de crianças COM CERTEZA lembra um pouco (quase nada) do filme de 2007 ‘O Orfanato. Há cenas em que ao ver as crianças desenvolvendo algo, que não sabemos ainda, e infligindo mal chega a ser chocante, mas ao mesmo tempo muito intrigante… Há também um pouco de influência de Switched at Birth por existir um personagem deficiente auditivo que se comunica através da linguagem de sinais, o que é uma ótima adição à série. 

 

A série é baseada em uma curta história escrita por Ray Bradbury, o autor de Fahrenheit 451, intitulada ‘Zero Hour‘ e produzida por ninguém menos do que Steven fucking Spielberg.

 

No primeiro episódio da série, exibido no dia 01 de Junho, The Whispers mostrou para o que veio, apresentou uma história intrigante e diversos mistérios que fazem o espectador quebrar a cabeça e não aguentar de esperar o desfecho de algumas coisas abertas logo no começo da série, portanto, se você é fã do gênero suspense/sci-fi/drama e tá com um tempinho livre vale a pena dar uma checada no primeiro episódio, nem que seja só por desencargo de consciência! 😀
 
The Whispers vai ao ar às segundas-feiras no canal norte-americano ABC.

Trailer:

Divulgado primeiro trailer de A Esperança – Parte 2!!

Por Santoni
|
9 de junho
Foi divulgado hoje, dia 09 de junho, o primeiro trailer do último filme da saga “Jogos Vorazes”.
 
No longa, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) vai enfrentar o Presidente Snow (Donald Sutherland) em um último grande confronto, que será muito além do que ela viveu na arena.. Porque agora não é só a vida dela que está em jogo.. e sim o futuro…

Josh Hutcherson, Liam Hemsworth, Woody Harrelson, Elizabeth Banks, Julianne Moore, Sam Claflin, Jena Malone e Philip Seymour Hoffman são só alguns nomes que estarão no filme..  
 
Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 2, está previsto para estrear no Brasil no dia 19 de novembro de 2014 e marcará o final de uma das sagas infanto-juvenis de maior sucesso, só os três primeiros filmes, juntos, arrecadaram mais de $2.307 bilhões de dólares.
 
Confira o trailer abaixo:
Posters anteriormente divulgados:

 

Resenha: O Príncipe das Sombras

Por Dalila Correia
|
7 de junho

Título: O Príncipe das Sombras

Título Original: The Prince
Autor(a): Sylvain Reynard
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Páginas:  128
Nota no Skoob: 4.0
Gênero: Ficção, Sobrenatural, Romance

*Pode conter Spoilers
 
“No térreo da Galleria degli Uffizi, o Príncipe de Florença considerava a ideia de cometer assassinato”

Resenha:

Este livro é um conto de Introdução à nova série Noites em Florença. Minha resenha será um pouco diferente, pois eu o li depois de ‘A Transformação de Raven’. Porém, isso não afetou em nada o entendimento sobre o livro, muito pelo contrário. 
 
Eu imaginei que O Príncipe das Sombras, iria explicar mais sobre a vida do Príncipe Willian York antes de o mesmo ter se tornado vampiro, ou algo relacionado a isso. No entanto o livro gira em torno do casal Julia e Gabriel e as obras de arte que possuem referente a Dante Alighieri. Estas obras foram roubadas do Príncipe Willian no ano de 1870 por seu funcionário Gianni a mando de um vampiro, que fora chamado de MESTRE.
Este tal MESTRE, para mim é o ponto mais curioso do livro e por consequência da série, pois ele tem muita raiva de Willian e sede de tomar a cidade de Florença para si.

Ao descobrir após séculos que suas obras de arte estão em posse dos Emersons, resolve se vingar e eliminá-los, pois ele acredita ser uma arrogância e cara de pau expor suas obras que foram roubadas, e que ele nem sabia onde estavam.

Bem, aqui fiquei com raiva do príncipe, pois ele culpa os Emersons pelo roubo, sendo que o fato ocorreu a muito tempo…
Se eu tivesse lido este livro primeiro, teria ficado frustrada… Mas o que me deixou de queixo caído, foi saber que o Willian esteve presente em muitos momento íntimos do casal Julia e Gabriel, inclusive na cena do dia da “exposição” dos quadros. Sinto muito, mas não consigo enxergar um mundo sobrenatural envolvendo os Emersons… minha opinião e ponto

Willian é um príncipe que leva a segurança de sua cidade e seu governo muito a sério, a o ponto de matar alguém que falhou em seu serviço, que foi o caso de seu chefe de segurança Christopher, que por uma falha, ou não, deixou alguns vampiros passarem pela barreira de proteção da cidade e tentaram assassinar Willian. Christopher foi morto e substituído. A culpa recai no príncipe de Veneza, pois um dos assassinos revelara que era de lá vai saber se é verdade.

Assim, é preparada uma guerra entre as duas cidades. Porém, não é desenrolada no livro, o que nos deixa muito ansiosos. Bem imagino que essa guerra tem relação as invasões das feras e traições em Florença apresentado no livro seguinte.

Outros personagens intensos são apresentados, como a linda vampira Aoibhe; sedutora, faz parte do Consilium do príncipe Willian, e faz de tudo por ele.
Príncipe Willian York
 

Particularmente, achei desnecessário este livro. A história poderia ter sido contada junto com A Transformação de Raven, pois ela é bem curta. Massss, indico mesmo assim a leitura.  =* 🙂

 

“The Storm Sister”, Livro 2 da Saga “A Sete Irmãs”, Lucinda Riley.

Por Thila Barto
|
6 de junho
      No começo dessa semana, a nossa querida autora Lucinda Riley postou em seu canal do youtube um novo vídeo falando do seu próximo livro, “The Storm Sister”, o segundo volume da saga “As Sete Irmãs”. No vídeo, Lucinda conta sobre o cenário da sua nova história, que no caso é a Noruega, e qual será o grande mistério que Ally, a segunda irmã, terá que desvendar para descobrir sobre a sua verdadeira linhagem.
     Podemos perceber que Lucinda foi a fundo em suas pesquisas sobre o icônico “Peer Gynt Suite” de Grieg, principalmente sobre a música Solveig’s Song e a história por trás dela.
   Nós, aqui da equipe, legendamos o vídeo e pedimos desculpas antecipadamente se traduzimos algo errado.
 
        O livro The Storm Sister – A Irmã da Tempestade já encontra-se disponível para compra em qualquer livraria 😀

Quer saber mais? Confira nossa resenha clicando aqui