Autor: Santoni

Resenha – Nailed It!

Por Santoni
|
13 de Março

Acho que todo mundo já se deparou com algum viral culinário em alguma linha do tempo de uma rede social qualquer. Aqueles bolos que parecem esculturas, aqueles doces super apetitosos, ou até mesmo aquela receitinha de 1 minuto que parece ser tão inofensiva e tão fácil.. Mas que na verdade está super fora das suas habilidades. Os corajosos aceitam o desafio e nem sempre acabam com o resultado esperado.. outros só apertam salvar link e prometem a si mesmos que UM DIA tentarão. Eu sou da turma que salva o link, COM CERTEZA. Porém estamos aqui para falarmos dos corajosos, daqueles que colocam a cara a tapa, separam seus ingredientes, suas receitas e seus tutoriais e acabam chegando em um resultado remotamente próximo ao desejado… bem remotamente.

Nailed It! é uma série/reality original Netflix que entrou no catálogo dia 9 de março de 2018 e mostra pessoas normais, com dotes culinários limitados, que tentam se aventurar na cozinha. O participante que mais se aproximar do modelo, em gosto e visual, leva US$10.000 para casa!

Eu realmente não sou uma pessoa que assiste Master Chef ou Cake Boss, me desculpem. Sempre fui mais a linha Ace of Cakes e derivados. Então uma série unir confeitaria e competição de pessoas sem a menor noção de confeitaria encheu o meu coração, de verdade. Quem não gosta de rir de uns fails, né?

O formato do programa segue a linha de competição de culinária, com um jurado fixo, o chocolatier Jacques Torres, a apresentadora Nicole Byer e jurados convidados em cada episódio. O programa tem algumas falhas, algumas coisas que incomodam e acabam causando uma espécie de “vergonha alheia”, porém os participantes do programa são a cereja e o bolo todo dessa história.

Eu dei muita risada assistindo essas pessoas tentando fazer coisas super complicadas na cozinha. Poderia muito bem ser eu ali falhando miseravelmente tentando fazer um bolo de princesa, mas rir de quem tenta é tão satisfatório quanto!

A série é composta de 6 episódios de 30 minutos cada. Se trata de algo rápido e SUPER divertido de fazer aquela maratona básica. Então fica ai essa super recomendação do universo Netflix pra ti! Aproveite e se você ficar com vontade de falhar miseravelmente na cozinha depois não me culpe <3 

Trailer: 

assista clicando aqui 🙂 

Filme – Maze Runner: A Cura Mortal

Por Santoni
|
25 de Janeiro

Maze Runner: Cura Mortal!

2 anos após o lançamento do segundo filme da franquia, 2018 começa trazendo o último filme da saga Maze Runner. A Cura Mortal começa mostrando um pouco das consequências de A Prova de Fogo em um ritmo alucinado e todo recheado de ação. Essa estratégia adotada pelo diretor Wes Ball tem como objetivo empolgar o espectador com cenas de tiros, perseguições, manobras arriscadas e explosões. A essência e toque emocional é mantido, mostrando a união e companheirismo dos personagens logo no começo dessa nova empreitada, o que é uma marca de Maze Runner.

No capítulo final da saga Thomas, Newt, Brenda, Jorge, Caçarola e companhia partem em busca de resgatar um valioso recurso que o CRUEL agora mantém sob custódia, para isso terão que enfrentar um mundo de Cranks e a fúria do CRUEL enquanto marcham em direção a última cidade.

O prêmio de atuação dessa vez vai para Thomas Brodie-Sangster, que dá vida mais uma vez ao personagem Newt, porém a estrela da vez, o Dylan O’Brien não perde a vez e dá um show interpretando, o que tudo indica pela última vez, o personagem Thomas. Tommie para os mais íntimos.

É um final de saga. É onde as respostas de 3 filmes precisam ser respondidas. É quando se encerram vários ciclos, de personagens, de uma história e a sua, de acompanhar a aventura dos Clareanos. Esse desfecho foi direto e reto, foi um final que deveria acontecer, preencheu as mudanças com relação aos livros de forma condizente e empolgante para agradar um público que não necessariamente é o mesmo dos livros.

Comédia, Drama, Aventura, Ação, Drama, Lágrimas, Olhos Marejados, Lágrimas.. Já disse Lágrimas?
O filme empolga, e emociona muito.

A essência do livro está lá, só que o roteiro está longe de ser uma adaptação fiel, uma consequência da bola de neve de mudanças criada a partir do primeiro filme e foi escalada para os demais de forma crescente. Porém as mudanças não incomodam tanto quanto de outras sagas e até mesmo as de A Prova de Fogo.

Corram para o cinema e confiram esse maravilhoso final de saga, porque vale a pena!

Trailer:

Resenha – O Sol Também é Uma Estrela

Por Santoni
|
1 de Maio

Título: O Sol Também é uma Estrela
Título Original: The Sun Is Also A Star
Autor(a): Nicola Yoon
Tradutor(a): Alves Calado
Editora: Arqueiro
Ano: 2017
Páginas: 278
Página do Skoob: Clique Aqui
Gênero: Ficção; Romance; YA

“E se formos apenas um desvio na história de outra pessoa?”

Natasha Katherine Kingsley é uma adolescente Jamaicana-Americana de 17 anos que vive ilegalmente nos Estados Unidos da América com seus pais, Patricia e Samuel Kingsley, e seu irmão mais novo Peter. Após seu pai bater bêbado em uma viatura de polícia, sua família foi descoberta e será deportada, sendo hoje seu último dia em Nova York. (mais…)

Resenha – 13 Reasons Why

Por Santoni
|
9 de Abril

TH1RTEEN R3ASONS WHY

Dia 31 de Março de 2017 foi o dia em que a Netflix finalmente disponibilizou os tão esperados 13 episódios da série 13 Reasons Why, a adaptação do livro de mesmo nome escrito por Jay Asher em 2007. Aqui no Brasil o livro “Os 13 Porquês” foi lançado pela Editora Ática.

A série conta a breve história de Hannah Baker. Uma garota que se mudou para a cidade não tem muito tempo, aos olhos de estranhos ela seria considerada uma “típica girl-next-door”, mas a vida não é só aquilo que as pessoas enxergam e é isso que Hannah deixa claro ao cometer suicídio e deixar 13 motivos para trás. (mais…)

Resenha – Perdidos Por Aí

Por Santoni
|
9 de Fevereiro

Título: Perdidos Por Aí
Título Original: Let’s Get Lost
Autor(a): Adi Alsaid
Tradutor(a): Débora Isidoro
Editora: Editora Verus
Ano: 2015
Páginas: 294
Página do Skoob: Clique Aqui
Gênero: Ficção; Drama; Young Adult

“Porque às vezes é preciso se perder para poder se encontrar.”

O que Hudson, Bree, Elliot e Sonia tem em comum? Os quatro jovens conhecem uma garota misteriosa chamada Leila que passou rapidamente pela vida de cada um, os ajudando como podia e deixando a sua marca na vida dessas pessoas enquanto seguia na viagem mais importante de sua vida.

“Peço-lhe por favor, note quando você está feliz”

Hudson
Típico boy-next-door do ensino médio naquele momento temido pela maioria dos adolescentes: escolha da faculdade. Ele trabalha na oficina do pai em Vicksburg, Mississippi e almeja ser médico. A vida seguia o curso programado, com ocasionais puladas de cerca, mas uma misteriosa menina aparece precisando de ajuda com seu carrinho vermelho, seu amado Plymouth Acclaim e Hudson não consegue negar..

“Às vezes não sei se devo me sentir grata ou apavorada por já ter vivido tantas vidas aos dezesseis anos.”

Bree ♥
Uma jovem louca por aventuras que não gosta de ficar no mesmo lugar por muito tempo, aparentemente vivendo os sonhos mais loucos de todos os jovens. Em um dia escrito nas estrelas, enquanto estava pedindo carona no meio da estrada, se depara com a jovem Leila e seu Plymouth Acclaim, mal sabia ela que seria só o começo de uma louca viagem, talvez a mais louca que já teve.

“Essa não vai ser a última vez que você vai se apaixonar, e provavelmente não vai ser a última vez que acaba com o coração partido.”

“Cada vez que fazia uma promessa de dedinho com Maribel, pensava no gesto como estar um quinto de mãos dadas.”

Elliot
Fissurado por comédias românticas, estava tendo um dia horrível, tinha acabado de ser dispensado pelo seu amor platônico, sua amiga Maribel. Com uma garrafa uísque estava belo e saltitante na maior bad que já havia enfrentado na vida, condições alcoólicas o levaram a ser quase atropelado por um Plymouth Acclaim, que por um triz acertou somente a garrafa que explodiu. Agora, com a mão toda ensanguentada, a motorista do carro o socorre de maneiras que nenhum scrit dos filmes que Elliot memorizou poderia prever.

Sonia
Um ataque de pânico envolvido em lágrimas e lembranças a levou até uma loja de conveniência, seus soluços precisaram de apoio, apoio esse na forma de um Plymouth Acclaim vermelho. Agora sim ela se entrega a uma aventura de descobertas, adrenalina e desencontros que a levam para um futuro além fronteiras para reencontrar seu coração e finalmente re-aprender a viver.

“Se alguns litros de gasolina e tempo podem me ajudar a fazer alguém sentir que não está só, fico mais do que feliz em poder colaborar.”

Esse livro faz parte de um conjunto de livros que eu li no primeiro semestre de 2016, mas não consegui escrever sobre. O motivo é simples.. quanto mais você se conecta com algo, mais difícil é você se satisfazer com o que você tenta passar dele para as pessoas. Mais você acredita não ser capaz de transmitir algo que você viveu imerso naquelas páginas. Mas tentarei ao máximo desenvolver o que Perdidos Por Aí significou para mim.

Acredito que alguns livros aparecem na vida da gente por uma razão (bem wicked mesmo), e esse chegou pelo correio e ficou esperando a sua hora para finalmente ser lido. Foram tantas as expectativas. A capa na livraria. A frase. O mapa. A sinopse. Tudo me preparou erroneamente pro que eu achava que seria o livro. Mas a coisa é .. você não pode ser preparado para uma coisa que depende de tantos fatores psicológicos…

Adi Alsaid dividiu a obra em narrativas focando em um personagem por vez. A narrativa é em terceira pessoa, mas é focada no protagonista da vez. O que eu achei bem interessante, eu achei que eu iria preferir uma narrativa em primeira pessoa, como normalmente prefiro nesse tipo de livro, mas é escrito de uma forma tão bonita que passou voando (é um livro bem rápido). A arrematada das histórias usando a passagem da Leila me deixou bem satisfeito. Fiquei rindo sozinho também nos seus agradecimentos por motivos de ser algo que todos, no fundo, querem ter a oportunidade de dizer.

“Minha gratidão à RuffaloCODY, à NBA e a todas as outras empresas em que procurei emprego depois que saí da faculdade e que não me contrataram, me direcionando, de certa forma, para a vida que tenho hoje.”

Perdidos Por Aí é um Drama, uma Comédia, um Romance, uma Ficção e muito mais.. tudo embrulhado em um papel azul muito.. mas muito mesmo.. agradável para os olhos. É um livro que capta a importância dos momentos e das pessoas que você conhece e quando as conhece. É um alerta de que tudo acontece por um motivo e você pode até acreditar que não é bem assim, mas basta pensar que as coisas acontecem no instante certo para nos ensinar a não menosprezar as coisas que nos acontecem.

É uma leitura super fluída e agradável e cheio de altos e baixos emocionais! Mas é a vida não é mesmo? Dia estamos assim 😉 e dia estamos assim 🙁 .. #vidaquesegue

Resenha – Colin Fischer

Por Santoni
|
29 de Janeiro

Título: Colin Fischer
Título Original: Colin Fischer
Autor(a): Ashley Edward Miller; Zack Stentz
Tradutor(a): Henrique Amat Rêgo Monteiro
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 176
Página do Skoob: Clique Aqui
Gênero: Ficção; Mistério; Infanto-Juvenil

“A vida é um mistério. E o que poderia ser melhor do que isso?”
 
   Colin Fischer é um jovem de 14 anos com Síndrome de Asperger e está começando o Ensino Médio, que já não é fácil por si só. Mas um tiro é disparado na cafeteria do colégio e Colin acredita veemente que o principal suspeito, o bully Wayne Connelly, é inocente.

   Alguns dos sintomas que Colin demonstra, referentes à Síndrome de Asperger, são: Dificuldade em ler expressões faciais, demonstrar emoções, não gostar da cor Azul (por nenhum motivo aparente), se sentir mal ao ser tocado sem aviso prévio, entre outros…

   Colin é muito esperto, metódico e extremamente organizado. E além de tudo, um grande fã do grande detetive fictício Sherlock Holmes; então quando ele presencia algo tão apavorador e tão intrigante quanto um ‘tiroteio’ no meio da cantina sua cabeça começa a funcionar e então monta em sua cabeça todas as probabilidades e tudo o que pode ter acontecido no meio de toda aquela confusão. Então Colin parte para a grande investigação, para, mais uma vez, tentar provar seu ponto de vista e seus palpites.

   O livro é.. diferente. A narrativa não flui tão bem. E por mais que pareça um livro fininho e inofensivo ele é ‘trabalhoso’ de ler. Cada capítulo começa com a explicação de uma grande teoria que acabará por sendo parcialmente utilizada no capítulo. A mente do Colin é muito complexa e realmente MUITO interessante de observar como ele age, como ele pensa…

   O livro é resultado da parceria de Ashley Edward Miller e Zack Stentz, roteiristas de “O Agente Teen”/”Thor”/”X-Men: Primeira Classe” e estão envolvidos no roteiro do novo filme dos !Power Rangers!, que tem previsão de lançamento para 2017.
 
   A obra acaba caminhando bem depois de alguns acontecimentos, e o final é uma mistura de emoções.. Sério.. (quero falar mais e abrir o coração aqui, mas não posso por motivos simples de: spoiler)..
 
   É um livro rápido e realmente é um informativo de Asperger e quase um livro escolar com a vasta quantidade de teorias e explicações de experimentos famosos, o que acrescenta MUITOS pontos para o livro, pois consegue entreter ao mesmo tempo que ensina.

É OFICIAL – The Lightning Thief: The Percy Jackson Musical

Por Santoni
|
10 de Janeiro

Não, você, caro leitor, não está louco.
Sim, você, caro leitor, está vivo para presenciar isso.
Talvez, você, caro leitor, deva ler todo esse post antes de julgar.

Foi anunciado hoje (10/01/2017) o The Lightning Thief: The Percy Jackson Musical. Foi algo esperado por alguns, fortemente não desejado por outros, mas a realidade é que ele existe e tem uma data e um local para dar o ar da graça.

Dia 23 de Março de 2017 começam as prévias do musical no Lucille Lortel Theatre (121 Christopher St, New York, NY 10014) e a estréia oficial foi marcada para o dia 4 de Abril de 2017. Os ingressos variam de $65 à $85. O musical ficará em cartaz até dia 6 de Maio de 2017, tendo assim uma curta temporada.

The Lightning Thief: The Percy Jackson Musical é baseado no livro Percy Jackson e os Olimpianos: O Ladrão de Raios do autor Rick Riordan (também conhecido como Titio Rick). O livro foi porcamente adaptado para os cinemas em 2010, dirigido por Chris Columbus e protagonizado por Logan Lerman.

Joe Tracz, responsável pela versão da Netflix de Desventuras em Série, está encarregado do roteiro, juntamente com Rob Rokicki. 

Sinopse oficial:

Percy Jackson tem poderes recém descobertos que ele não consegue controlar, monstros na sua cola, e ele está na missão de encontrar o Raio de Zeus e prevenir uma guerra entre os Deuses Gregos. Normal é um mito quando se é um semideus. Baseado no best-seller da Disney-Hyperion por Rick Riordan, contendo música ao vivo, The Lightning Thief:  The Percy Jackson Musical é uma aventura teatral cheia de ação que irá abalar o seu mundo.

O Musical surgiu em 2014 pela Theatreworks USA, que apresentou, gratuitamente, uma versão de uma hora de um esboço do que acabou se tornando o The Percy Jackson Musical de agora. Uma das atualizações foi a criação de um segundo ato, totalizando 2 horas de espetáculo, mais personagens e uma orquestra maior.

O musical será OFF-BROADWAY, então ele não será um musical da Broadway (como muitos estão dizendo), ele estará imediatamente Off dela, perto… Mas OFF. Com capacidade reduzida e com um contrato limitado. As possibilidade dele ir pra Broadway são reais.. Muitas peças passaram por essa jornada.. Tudo depende do público e da crítica..

Foi anunciado que Chris McCarrell, conhecido por assumir o papel de Marius após a saída de Andy Mientus no Revival da Broadway de Les Misérables, protagonizará o Musical, interpretando Percy Jackson. Por enquanto foi o único nome anunciado.

Junto com o anúncio, o canal oficial do YouTube do Musical divulgou uma prévia de The Lightning Thief: The Percy Jackson Musical juntamente com a performance da música “Good Kid” por Chris McCarrell.

E ai meio-sangues.. O que acharam?

Acompanhe o musical nas redes sociais.

Facebook.com/LightningThiefMusicalTwitter.com/LTMusicalInstagram.com/LTMusical

Leia o anúncio do Rick Riordan na íntegra AQUI

Resenha – Animais Fantásticos e Onde Habitam

Por Santoni
|
17 de novembro

Título: Animais Fantásticos e Onde Habitam
Título Original: Fantastic Beasts and Where to Find Them
Duração: 2h 13min
Diretor(a): David Yates
Ano: 2016
Filmow
IMDB
Gênero: Aventura, Fantasia

“A New Era Of Magic Begins”

Animais Fantásticos e Onde Habitam é livremente baseado no livro de mesmo nome escrito pelo autor fictício Newt Scamander. Mas foi realmente escrito para o mundo muggle por J.K. Rowling e lançado em 2001 juntamente com o livro Quadribol Através dos Séculos formam um conjunto de livros que beneficia a Comic Relief com 80% de seu valor de venda.

I wonder… what makes Albus Dumbledore so fond of you, Mr. Scamander?

(mais…)

#HPREVISITED – Harry Potter e a Ordem da Fênix

Por Santoni
|
16 de novembro

Sorry, Professor, but I must not tell lies.

Harry Potter e a Ordem da Fênix é o quinto filme da saga Harry Potter, lançado em 2007, e marcou a estréia de David Yates como diretor da saga e foi a única contribuição do roteirista Michael Goldenberg para a franquia. HP5 arrecadou aproximadamente $939,885,929.

O filme foi um dos mais mágicos pra mim na época. A qualidade e a quantidade de uso de magia é absurda e isso sempre foi o que me agarrou tanto à Ordem da Fênix. As cenas na Sala Precisa, a parte no Ministério, até o começo com os Dementadores.. O mundo mágico de Harry Potter mudou e ficou mais perigoso e alucinante e realmente desesperador e o filme passa exatamente isso. As mortes, os ataques, tudo que acontece basicamente cria um clima de despedida de um mundo que está prestes a mudar. De um mundo que está prestes a ser tomado por medo e trevas. A união dos personagens e a urgência como tudo é tratado nos prepara para um futuro da saga cheio de tropeços.

A magia é linda! Os patronos, os Stupefys, Levicorpus.. Todos.. Foram muito bem trabalhados com efeitos especiais, e a partir desse filme ditaram o rumo de animação de feitiços para a saga.

A Armada de Dumbledore nos ensinou que a união faz a força e que sempre terão pessoas querendo censurar e diminuir as outras, mas a vontade de ajudar e aprender deverão quebrar essas barreiras impostas para juntos atingirmos até nossos mais loucos e distantes objetivos. 

Somos apresentados à Dolores Umbridge, Tonks, Kreacher (a.k.a Monstro), Luna Lovegood <3 e a GENIAL Bellatrix Lestrange de Helena Bonham Carter. 

Order of the Phoenix. It’s a secret society. Dumbledore formed it back when they first fought You-Know-Who.

#HPREVISITED – Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Por Santoni
|
15 de novembro

“I solemnly swear that I am up to no good.”

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban é o terceiro filme da saga e foi lançado só em 2004. O longa arrecadou aproximadamente $796,688,549. Até o momento é o filme da saga a arrecadar menos. Mas é o segundo filme da saga mais aclamado pela crítica (Atrás de Relíquias da Morte Parte 2).

O Prisioneiro de Azkaban foi dirigido por Alfonso Cuarón (diretor de ‘Gravidade’), e marca um novo começo para a saga nos cinemas! (mais…)